terça-feira, outubro 7

fado


não sei quem é o autor da foto

[para o amigo Iosif Landau]


Na selva de asfalto concreto e aço,
na rotina da luta pela sobrevivência,
não há força além da aparência
nem paz a quem abraça o cansaço.

Pouco a pouco, sem que percebamos,
vestimo-nos com essa vã armadura
e poucos se dão conta da loucura
onde, desde a infância, navegamos.

Assim, perdidas as afeições humanas,
amesquinhamo-nos na individualidade
e iludimo-nos buscando a felicidade
nas celas estreitas das nossas cabanas.

Mas há os que transcendem este fado
no abraço fraterno do amigo resgatado.




Fred Matos
publicado em "Anomalias".
Editora Kelps
Setembro/2002


2 comentários:

yehuda disse...

olá Fred muitas saudade amigo
sou um cara desorganisado
nunca sei onde encontrar os amigos
mas nunca os esqueço
abraço

fred disse...

Somos parecidos, Iosif. Os afetos permanecem, sempre.
Contente por reencontrar você.
Abração.

pesquisar nas horas e horas e meias