sexta-feira, novembro 28

a música das horas e horas e meias


Elis Regina - Como Nossos Pais






Como nossos pais

(Belchior)



Não quero lhe falar, meu grande amor
Das coisas que aprendi nos discos
Quero lhe contar como eu vivi
e tudo o que aconteceu comigo

Viver é melhor que sonhar
E eu sei que o amor é uma coisa boa
Mas também sei que qualquer canto é menor
do que a vida de qualquer pessoa

Por isso cuidado, meu bem, há perigo na esquina
Eles venceram
e o sinal está fechado pra nós que somos jovens

Para abraçar seu irmão e beijar sua menina na rua
É que se fez o seu braço, o seu lábio e a sua voz

Você me pergunta pela minha paixão
Digo que estou encantado como uma nova invenção
Eu vou ficar nesta cidade, não vou voltar pro sertão
Pois vejo vir vindo no vento
o cheiro da nova nova estação
Eu sei de tudo na ferida viva do meu coração

Já faz tempo eu vi você na rua
cabelo ao vento gente jovem reunida
Na parede da memória
essa lembrança é o quadro que dói mais
Minha dor é perceber
que apesar de termos feito tudo que fizemos
Ainda somos os mesmos e vivemos
como nossos pais

Nossos ídolos ainda são os mesmos
e as aparências não se enganam, não
Você diz que depois deles
não apareceu mais ninguém

Você pode até dizer que tou por fora
ou então que tou inventando
Mas é você que ama o passado e que não vê
É você que ama o passado e que não vê
que o novo sempre vem

Hoje eu sei que quem deu me deu a idéia
de uma nova consciência e juventude
Está em casa guardado por Deus contando vil metal
Minha dor é perceber
que apesar de termos feito tudo tudo o que fizemos
Nós ainda somos os mesmos e vivemos
Ainda somos os mesmos e vivemos
Como os nossos pais

10 comentários:

hfm disse...

Que melhor para enquadrar este poema que Elis! tão seu!

LAU SIQUEIRA disse...

Algumas músicas parecem que ficam no nosso dna... saudades de Elis. Um abraço, grande Fred. Gosto de passear pelo teu bom gosto.

Serjones disse...

gosto mto de versões. recentemente vi uma versão do cantor de rock gaúcho wander wildner.

Diz disse...

Elis me comove sempre.
Nossos blogs têm algo semelhante: textos nossos e músicas que nos tocam.
Abs, Laura

fred disse...

Helena,
Obvio que você não está pensando que é meu o poema (letra da música) de Belchior, e, observando bem, mesmo não sendo proposital, há semelhanças temáticas entre o da música e o último poema que postei.
Obrigado,amiga.
Beijos

fred disse...

Esta do Belchior eu acho que ficou no DNA da nossa geração e a Elis tem uma imensa “culpa” por isso.
A sua presença no meu blog é sempre motivo de alegria, Lau.
Obrigado.
Abraço forte.

fred disse...

É uma versão esta música, Serjones?
Eu sempre achei que fosse do Belchior.
Ainda estou rindo com aquele seu texto de ontem. Genial.
Obrigado pela visita e comentário.
Abração

fred disse...

São, sim, Laura, são semelhantes.
Obrigado por voltar, por comentar.
Beijos

paula barros disse...

Fred, acho essa música linda. Hoje especialmente parece que foi colocada para que eu leia e pense e sinta e reflita.

Coloquei hoje cedo num comentário de um blog o quanto somos formados por pedaços de outros. E isso era falando principalmente dos pais. E como é difícil nos remontar, sem alguns pedacinhos que não nos servem mais. Das verdades que não são mais verdades.

O passado, ah! como o passado nos acompanha.

E levo comigo a frase - "viver é melhor que sonhar". Embora viver sonhando e realizando é bom demais.

um ótimo dia para você. do jeito que aqui vai, voltarei ainda hoje. rsrs

fred disse...

Bom dia pra você também, Paula.

pesquisar nas horas e horas e meias