sexta-feira, novembro 28

nada apaga


não sei quem é o autor da ilustração


uma lágrima só não basta
um oceano é insuficiente
poemas,
belas palavras,
nada redime,
nada apaga
a inocência prematuramente perdida
das crianças maltratadas
 
há as que são violadas
todos os dias,
anos a fio
pelo pai, mãe, irmãos, tios
aqueles que deviam protegê-las
 
há as que são espancadas
as que são abandonadas
há as quais se negam carinhos
calor, comida, água.
 
uma lágrima só não basta
não há poema que redima
rimas soam equivocadas
a angústia me domina
porque tenho palavras somente
e palavras não são eficientes
para restituir a vida
às crianças estupradas.


Fred Matos

 

4 comentários:

ALM disse...

Fred,
Aos 14 anos fui estuprada pelo meu padrasto. Minha mãe tinha ido para o trabalho e eu só tinha aula à tarde. Naquele dia ele voltou para casa, me amarrou na cama e me violentou. Eu era virgem e senti muita dor quando ele me penetrou. Pensei em fugir de casa, mas ele tinha me ameaçado dizendo que mataria minha mãe se eu contasse. Eu vivia chorando, não tinha coragem de desabafar nem com a minha melhor amiga, me refugiei na comida, engordei. Fazia tudo para não ficar sozinha com ele, inclusive ir para a casa de uma vizinha na hora que mamãe saía para o trabalho. O nojo que senti, a vontade de matá-lo, são coisas que ainda me perseguem. Hoje estou com 36 anos e ainda não me sinto curada. Não tenho vida sexual. Tentei, mas não sinto prazer, entro em pânico, recordo-me daquela terrível manhã. Está sendo muito difícil escrever este depoimento, fico por aqui.

fred disse...

Imagino que seja muito difícil não apenas dar este depoimento como até ler textos que abordem a questão. Peço-lhe que me desculpe se o meu poema causou-lhe dor. Estou sem palavras.
Beijos

Maurício disse...

http://www.abcdasaude.com.br/artigo.php?5

fred disse...

Visitei o link. Interessante.
Obrigado.
Ótimo domingo.
Abraços

pesquisar nas horas e horas e meias