quinta-feira, novembro 6

súplica – Cida Sousa


Cida Sousa ©

foto: Luc Selen

Deixe-me beber teus rios,
percorrer tuas montanhas,
encontrar pontos cardeais em todos teus
sentidos,
com luas e estrelas infinitas,
brilhantes,
nuas...
inocentes...
Deixe-me tocar teus montes e picos
no ritmo ofegante de um querer,
ainda por mim,
desconhecido. ..
Navegar teus mares,
descobrir tuas ilhas aquecedoras,
inexploradas...
Deixe-me dormir em tua praia calma
e acordar pisando tuas areias quentes
embebidas de teu gozo supremo.
Deixe-me procurar teus sonhos
e encontrá-los em minha intimidade
úmida e quente a te esperar...
ansiosa...
Deixe-me saborear teu despertar
entre manhãs e teus poros,
pêlos,
pernas,
luxurias e carinhos ingênuos
nunca dantes recebidos...
Deixe-me sentir tua língua acariciar minha
pele
no toque mudo de teus lábios sedentos
buscando prazeres adormecidos dentro de
mim...
Deixe-me sentir o corpo banhado por ti,
como água atrevida que me envolve,
devassa,
explora caminhos virgens,
revela segredos,
desperta desejos
que teimam em não vir...
Deixe-me sonhar apenas,
com anjos alados,
ritmos alucinantes,
frenesi...
deixe-me,
te imploro...
deixe-me
acontecer assim...
somente...
deixe-me...


4 comentários:

hfm disse...

Há muito que não lia nada da Cida e que belo!

fred disse...

Faz muito tempo que não tenho contato com Cida, deixei mensagem no “Aurora Boreal” http://tantaluz.blogspot.com/ avisando que postei o poema: espero que ela apareça.
Obrigado, Helena.
Beijos.

Cida Sousa disse...

Oi Helena! Oi Fred!

Ando um pouco parada na poesia.
Tenho postado bem pouco no blog e um pouquinho a mais no fotoblog...

Helena obrigada pelo Belo :)
Fred, obrigada pelo post.

beijos
cida sousa

fred disse...

Que bom que você apareceu, Cida. A minha produção recente, como disse em resposta a um comentário do amigo Olegário em outro post, é parca e porca, mas eu creio que escrever, para nós que não fazemos disso uma profissão, depende muito do estímulo recebido no feedback recíproco. Não suma.
Beijos

pesquisar nas horas e horas e meias