quinta-feira, dezembro 18

meu passado





talvez pelo torpor da noite fria,
recordo teu sorriso agora distante
e afogo em lágrimas a madrugada.

onde perdi os sonhos da juventude?
onde a inocência agora se esconde?
o que resta de sorriso, boca amarga?
de ti, em mim, não sobrou nada?

embebedo-me
e fumo
como um condenado.

não eram estes teus projetos,
meu passado.
passaste por mim no fugaz instante
em que fui feliz e tu enfado.




Fred Matos
publicado em "Anomalias".
Editora Kelps
Setembro/2002

8 comentários:

Pavitra disse...


dificilmente o passado
e os projetos se acertam
ou acertam...
mas de alguma forma ele, o passado,
nos traz até aqui
seja lá onde aqui for
e como for...

(eu sorrio) :)

beijos, fred

p.s. seu passado era um gato! rs

fred disse...

Mesmo os gatos envelhecem, Pavitra, alguns engordam e ficam barrigudos (como eu), outros pelo menos conseguem manter só pele e ossos, mas isso é natural e, como acontece paulatinamente, só nos damos conta da mudança quando nos vemos em fotos antigas, como esta tirada quando eu tinha cerca de 20 anos, há 35 anos atrás. Mas, mais que a gordura e as rugas, mais que a falta de vitalidade, a respiração ofegante a cada esforço maior, o que dói realmente é a constatação de que muitos dos sonhos eram irrealizáveis, e outros, factíveis, foram ficando para depois, foram ficando esquecidos, ficaram para trás. Porém, como sou teimoso, procuro renovar sempre o meu estoque de fantasias, é nisto que a poesia cumpre função essencial.
Obrigado pela leitura constante, pelo comentário e pela amizade.
Beijos

lick disse...

Recado para Pavitra
Era não, ainda é, e muito!

Para Licko

Bjs, t'amo!

fred disse...

Somente aos seus olhos, Lick.

Também te amo.

Beijão.

Elis disse...

O que sobrou é essência. O que realmente importa, o que realmente faz sentido.

Bjos corridos!

fred disse...

Mas bem que eu ficaria mais contente se a essência estivesse em uma embalagem mais em forma (risos).
Obrigado, Elis, você é muito gentil.
Beijos

On The Rocks disse...

e no futuro, como seremos?

como será olhar para trás?

dia desses encontrei uma ex-colega e ela me disse:" você era um gato!
enlouquecia as meninas na escola".

é cruel essas coisas... mas acho que ainda mexo com as meninas! rs rs

abs

fred disse...

Rindo muito, Tarcísio:

Provavelmente a sua ex-colega estava "enlouquecida" por você naquela época e não está mais agora. Talvez uma outra que naquela época não ficasse enlouquecida, por mais gato que você fosse, possa ficar enlouquecida agora. Isso se dá porque não há explicação racional para o "enlouquecimento".

Ah!, meu amigo: eu penso que no futuro seremos um sumo das experiências que acumulamos na vida, isso nos dá mais sabedoria, mais tranqüilidade, mas, lamentavelmente, nem sempre dá a capacidade de olhar para trás sem uma ponta de saudade e, às vezes, mágoa.

Abraço grande.

pesquisar nas horas e horas e meias