segunda-feira, dezembro 8

o que passou é passado


não sei quem é o autor da foto


não se deixe ficar eternamente
no gólgota à sombra dos crucificados
o dia amanheceu sorridente
tudo o que passou é passado

hoje amanheci contente
nada há que requeira meus cuidados
aquele que fui ontem fui somente
porque a ele eu estava acostumado

o sol é o meu novo entorpecente
qualquer um lume me deixa alucinado
tanto ou mais que mil copos de aguardente

e quando eu fico assim neste estado
a luz que há lá fora reluz internamente
e rio-me do meu outro acabrunhado.



Fred Matos

18 comentários:

Bruna Mitrano disse...

"e rio-me do meu outro acabrunhado", fiquei repetindo isso. Eu precisava mesmo ler esse poema hoje; não que ele tenha funcionado como auto-ajuda, não me entenda mal.
É, quem faz um poema salva um afogado.

romério rômulo disse...

fred:
cheguei aqui a partir da mariza lourenço.gostei.um abraço.
romério

fred disse...

Não entendo mal, Bruna, fico é contente quando alguém me diz que um poema meu chegou na hora certa.
Obrigado.

fred disse...

Espero que venha sempre, Romério.
Obrigado.
Abraços

mariza disse...

Fred, fiz um pacto comigo há tempos: rir de tudo o que me acabrunha.
de fato, o que passa pela gente é passado. o resto só é presente.
muito bonito o poema. bom pra refletir, sobretudo.
gosto demais do seu blogue, acompanho, sou fã e indico. os amigos sabem que não sou boa 'visitadora' e comentarista competente, mas dentro das minhas naturais limitações, retribuo com carinho. uma forma tímida e sem jeito de demonstrar admiração.
beijos.

fred disse...

Eu que sou seu fã, Mariza, e não é de agora, é desde o tempo das listas de poesia. Fico muito contente por você gostar do blog e pela oportunidade que está me dando de reencontrar tanta gente querida.
Beijos.

Jo Bittencourt disse...

Olá Fred,

Agradeço a visita e por ter linkado. Vc tem aqui belas imagens e textos.

Beijo

fred disse...

Obrigado, Jo. Fico contente por sua vinda, leitura e comentário.
Beijo

Vivian disse...

"hoje amanheci contente
nada há que requeira meus cuidados
aquele que fui ontem fui somente
porque a ele eu estava acostumado."

...um dia de cada vez,
e o ontem já virou passado.

bjus, poeta!

Amélia disse...

Bom dia, Fred! Gosto sempre de te ler e de ir passando por aqui.Beijo

Dauri Batisti disse...

Leia agora teu soneto na manhã. O céu está exagerando no azul, promessa de um dia lindo, destes que adoro nesse tempo que antecede o verão. Tudo o que o teu lindo soneto diz é bom. Bom de ler, de viver.

Abraço.

Pelos caminhos da vida. disse...

Bom dia!

Tem selinho lá para vc.

bjs

hfm disse...

dos eus que nos habitam.

fred disse...

É isso, Vivian.
Obrigado pela visita, leitura e comentário.
Beijos

fred disse...

Eu sempre navego no seu barco de flores, Amélia.
Obrigado, sobretudo pela amizade.
Beijos

fred disse...

Dauri,
Antes de responder ao seu generoso comentário, fui no seu blog onde poderia ficar horas deliciando-me com os seus poemas se não precisasse voltar para agradecer ao seu e aos outros comentários.
Obrigado.
Grande abraço

fred disse...

Obrigado, Ana, pelo selo, visita, leitura e amizade.
Beijos

fred disse...

Sempre fico contente quando você vem e deixa comentário, Helena.
Obrigado.
Beijos

pesquisar nas horas e horas e meias