quarta-feira, janeiro 14

hai kai


não sei quem é o autor da ilustração


folhas amarelas
esparramadas no chão
─ vejo-as da janela




Fred Matos



18 comentários:

yehuda disse...

imprssionante
impressionista
o belo existe

abraço

Fernanda! disse...

È o belo existe :)

Branca disse...

Que coisa mais linda!!!
bjos...

fred disse...

Obrigado, Iosif. A beleza está em quem vê e, ou, lê.
Abração.

fred disse...

Obrigado, Fernanda! :)

fred disse...

Contente porque você gostou, Branca.
Obrigado.
Beijos

On The Rocks disse...

simples e belo.

abs

gabi disse...

Não tem nada mais lindo.

Elis Zampieri disse...

Eu gosto de haikais. Qualquer dia me atrevo a fazer um.
Muito bom o seu.
Bjos Fred

fred disse...

Obrigado, Tarcísio.
Bom te rever aqui.
Abraços

fred disse...

Que bom que você gostou, Gabi.
Obrigado.

fred disse...

Houve uma época, faz muito tempo, na qual eu pensava haicais o tempo inteiro, mas as limitações de métrica 5-7-5, a obrigatoriedade do Kigô (termo que identifica estação), a proibição do uso de metáforas, tudo isso tente a me afastar dos haicais, mas é sempre um bom exercício.
Obrigado, Elis.
Beijo

dila disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
fred disse...

Esparrame-se, Lick.
Beijão.

Henrique Hemidio disse...

Já é babaquice usar imagem pra fazer alusão à poesia, ainda mais uma do windows, pelo menos nesse ponto deveria ter caprichado mais pro poema não ficar tão besta...
Abraço!

fred disse...

Respeito a sua opinião, Henrique, conquanto deva registrar:
1. Pouco se me dá se a imagem é do windows ou não, desde que eu a considere apropriada à ilustração do poema, que, caso lhe interesse saber, não foi escrito tendo a imagem como tema. Não tenho preconceitos contra a origem das coisas.
2. Muita gente tem a sua mesma opinião acerca dos haicais, acham-nos um poema besta. Mas há também muitas outras pessoas que gostam deles. É portanto uma questão de gosto. Obviamente que há haicais muito melhores que este meu, mas na essência todos são, para quem não os admira, poemas bestas. E também não tenho preconceito contra besteiras, prefiro-as, aliás, às coisas pseudo sérias, pseudo originais e pseudo modernas, que considero muito chatas, mas também respeito, porque respeito também aos chatos.Sinta-se a vontade para voltar sempre que quiser e para nos brindar com os seus ilustres comentários.
Abraços

Anônimo disse...

Você mudou um pouco, to de olho, não brinque comigo.


Eu

fred disse...

Um psiquiatra lhe faria bem, Anônimo.

pesquisar nas horas e horas e meias