quinta-feira, janeiro 15

metasignos bailarinos




agora só lhes prometo
metasignos bailarinos
dos anúncios coloridos
e palavras que ao acaso
- nas roletas do cassino -
colho côo cozinho
no caldeirão do destino
para montar o mosaico
desarranjado e mofino
que nada diga de fato
exceto que tudo foi dito.



Fred Matos
publicado em "Anomalias".
Editora Kelps
Setembro/2002

4 comentários:

Hercília Fernandes disse...

"que nada diga de fato
exceto que tudo foi dito".

E, no entanto, como dizem, Fred, os seus "metasignos bailarinos"!...

Gostei de tudo. O jogo de palavras, a sonoridade, a forma... e, especialmente, o que as palavras afirmaram não-dizer.

Belo, parabéns!

H.F.

fred disse...

Obrigado, Hercília. Fico contente por você gostar.

Mauro Jorge disse...

Belíssimos poemas!
Como faço para comprar teus livros desde São Paulo?

Tenho um blog ainda brotando e recente aqui:
http://elizabethmydear.wordpress.com/page/2/

Por acaso nasci no mesmo dia:
24 de outubro, mas de 1974

em admiração
Mauro Jorge

fred disse...

Obrigado, Mauro.
Já estive no seu blog e deixei mensagem.
Abraços

pesquisar nas horas e horas e meias