quarta-feira, fevereiro 4

acalantos


outro poema que sobrou do livro Anomalias

foto: Fred Matos


de frutos me farto
de sonhensandeço
mas meu endereço
mudou após parto

não lembro do berço
d’útero ou laços
só me ato a braços
e aos versos que exerço

os meus acalantos
catados nas ruas
são pontas com puas
soando sem prantos

nas cordas do vento
nas ondas do mar
na paz que não há
no meu atormento


Fred Matos


2 comentários:

Hercília Fernandes disse...

Fred,

se as sobras do Anomalias são boas assim, imagine-se o que está in livro!?...

Gostei muito do seu acalanto. Imagens e recursos lúdicos perpassam as linhas, como aliterações em sons consonantais, tornando o texto movimentado e agradável de se ler. Parabéns!

Abraços,
H.F.

fred disse...

Hercília.
Os poemas do Anomalias já estão quase todos no blog. Você pode acessá-los, se quiser, no link do índice "direto ao ponto", no menu à direita, sob o índice de títulos por data.
Agradeço-lhe a leitura e o gentil comentário.
Abraços

pesquisar nas horas e horas e meias