terça-feira, março 24

colcha de retalhos




venho colecionando frases vãs
para uma colcha de retalhos:
são versos que sobraram
de poemas que não escrevi.

uns dos outros diferem
na métrica 
na rima 
no escopo.

alguns me deixam louco:
me acordam no meio da noite
reclamando que os esqueci.

quase todos estão velhos
amarelando os cadernos
que substituí pelo Word® .

aqueles mais recentes,
são frágeis sobreviventes
na lixeira do Windows® .
 
enquanto faço poemas
ouço Bill Gates® sorrindo.



Fred Matos
publicado em "anomalias".
editora kelps
setembro/2002

12 comentários:

Batom e poesias disse...

Sou a primeira a comentar o novo poema.
Identificação.
Os versos também me acordam no meio da noite.
Gostei muito.
Abraços

fred disse...

Fico contente por você gostar, Rossana, e por se identificar.
Obrigado.
Beijo

Gerusa Leal disse...

Que beleza de blog, Fred. Colcha de retalhos é uma preciosidade. Redondinho, redondinho. Amei.

Fernanda! disse...

Perfeito...Boa leitura aqui é da ordem.

Adorei!

Bjos de luz!

Mirse disse...

Olá Fred! Lindo e surreal.
Poemas esquecidos, se em retalhos, (que também possuo) dará, quem sabe um novo poema de sua genialidade.

Parabéns!

Abraços

Mirze

fernando cisco zappa disse...

puxa camarada!

você tem uma verve
um humor
um jeito mão pé
de recolher
amassas moldar destravar
essa coisa real mais que real
e depois criar recriar
nonsenses

evoé, meu caríssimo poeta!

nina rizzi disse...

eu também so(u)rio com seus poemas.. rs..

fred disse...

Obrigado, Gerusa. Fico contente com a sua visita, leitura e comentário.
Beijos

fred disse...

Que bom que você gostou, Fernanda. Fico contente.
Beijos

fred disse...

Bondade sua, Mirse.
Obrigado.
Abraços.

fred disse...

Evoé, Fernando.
Sua visita, leitura e comentário me deixam contente.
Obrigado.
Abração

fred disse...

Mas só o Bill Gates® sorri porque lucra, Nina.
Rindo muito aqui.
Obrigado.
Beijos

pesquisar nas horas e horas e meias