sábado, março 28

zoada de barata


não sei quem é o autor da foto


zoada de barata se batendo
soldado, cabo, sargento, capitão
era um exército de baratas
tantas que até parecia ilusão

elas vinham voando correndo
céleres na minha direção
havia mais baratas nas ruas
que estelas na escuridão

felizmente chegou um ônibus
parou no ponto, abriu a porta
pensei que era a salvação

até hoje na armadilha me vejo:
ele estava cheio de baratas
moscas, lacraus e percevejos


Fred Matos

8 comentários:

Nanda Assis disse...

muito forte teu poema. bom sabado.

bjosss...

Maria Inácia Bellico disse...

Bem interessante o poema. Adorei! Gosto de coisas novas.

Ótimo domingo pra ti.

Bjim*

Cris Animal disse...

Não vejo diferença entre uma tropa de soldados e baratas....
rsrsrsrsrsrs

Conforme a colocação as duas causam repulsa.

beijo pra vc
.............Cris Animal

Efigênia Coutinho disse...

Fred Matos, a poesia é plural, multifacetada, plussignificativa. Por conseguinte, a maneira de decifrar o que se observa ou perscruta, é diferente em cada ser humano, que vai lendo e vivendo suas letras.
Meus cumprimentos,
Efigênia Coutinho

fred disse...

Bom domingo, Nanda.
Obrigado.
Beijos

fred disse...

Ótimo domingo também pra você, Maria Inácia.
Agradeço-lhe a visita, leitura e comentário.
Beijos

fred disse...

Adorei seu comentário, Cris.
Também não vejo diferença.
Obrigado.
Beijos

fred disse...

Agradeço-lhe, Efigênia. É exatamente assim que quero a minha poesia: multifacetada e plural: como a vida.
Beijos

pesquisar nas horas e horas e meias