quinta-feira, abril 2

pecado


para Lucinha, prima

ilustração: Luiz Fonseca


pé no pó da terra erma
o poeta errante rompe
sem sede sede ou fome
pois a dor que o consome
é pouso pão e sustenta,

vales campinas e montes
até que a noite escureça

busca no norte e no oeste
busca no sul busca no leste
e ampliando os horizontes
busca nas funduras da terra
no espaço nas ilusões que sidera
o nirvana onde espera encontrar
o fim das aflições da espécie

à beira dum regato manso
deita o corpo agora lasso
e lança o olhar ao espaço
para ver se nas estrelas
nas lembranças da infância
no infinito que alcança
distingue o destino que almeja

assim entendo a peleja
a que estamos condenados:
da racionalidade é o fado
que ilumina e enlouquece
pois pensar é o único pecado
exclusivamente humano

cerro os olhos

cai o pano


Fred Matos
Publicado em “Eu, Meu Outro”
Editora Poesia Diária
Maio/1999.

12 comentários:

Maurício disse...

Gostei deste poema. Não havia entendido o terceiro verso: "sem sede sede ou fome", no qual me parecia haver a repetição de "sede". Depois, graças ao quinto verso, foi que notei que se trata de "sede" (de beber) e de "sede" (lar). Interessante, são palavras com a mesma grafia, mas pronúncia diferente.

Mari Amorim disse...

Fred,
Hoje, vc se superou!
Gostaria,se possível seu email,
para adquirir suas obras.
mafaldarebelde_7@hotmail.com
grata,
Luz!
Mari

Hercília Fernandes disse...

Fred,

a cada dia me torno mais ainda fã de sua poesia. Mais não como essas doidivanas entorpecidas que ficam a espreita do ídolo, na porta do hotel, para ganhar um sorriso e/ou autógrafo.

Mas, o seu poema "pecado" merece todos os méritos e loucuras possíveis/impossíveis. Por isso, caro poeta: - me dá o seu autógrafo!?...

Bravíssimo!


Forte abraço.
H.F.

Nanda Assis disse...

bela homenagem.

bjosss...
.
__**_**
_**___**
_**___**_________****
_**___**_______**___****
_**__**_______*___**
__**__*______*__**
___**__*____*__**
____**_**__**_**
____**___**__**
___*___________*
__*_____________*
_*____0_____0____*
_*___/___@___\___*
_*___\__/...\__/___*
___*_____W_____*
_____**_____**
_______*****
.

fred disse...

Agradeço-lhe, Maurício, a visita, leitura e comentário.
Quando leio pronuncio primeiro "sede" (de local).
Grande abraço.

fred disse...

Obrigado, Mari.
Meu e-mail é cfmmatos@terra.com.br
Beijos

fred disse...

Você me fez sorrir, Hercília.
Claro que dou o autógrafo (risos).
Obrigado.
Beijos

fred disse...

Obrigado, Nanda.
O engraçado é que eu acho que a prima nem sabe deste poema. Faz muitos, muitos anos que não sei notícias dela: coisas de familia muito grande.
Beijos

Adriana Godoy disse...

"pois pensar é o único pecado
exclusivamente humano" Fred, mais um poema bem construído, com lindas imagens poéticas. Beijo.

fred disse...

Obrigado, Adriana. Fico contente que goste.
Beijos

Camila Vardarac disse...

querido fred,
maravilhosa essa poemessência!

beijos

fred disse...

Obrigado, Camila.
Estava sumida?
Beijos

pesquisar nas horas e horas e meias