domingo, junho 14

mergulho


para a amiga Suzy Malmal

ilustração: Michelangelo Caravaggio - Narciso.


o que eu venho tentando lhes dizer
digo-o a mim todos os dias
com a serenidade de um silêncio agudo
que vibra a tênue mas resistente fibra
que tece a invisível malha da vida

cada um humano é um lago de águas turvas
que o vento da circunstância fere a superfície
sua face mais visível e inconstante
onde bóiam as paixões ligeiras
e navegam os dramas que nos aflige

é preciso descer ao fundo
além de onde a luz permite
onde tudo é absoluta calma
ao lodo denso que retém a alma
substância rica de que se nutre

só após este mergulho se compreende
que a força provem da massa escura
formada pelo acúmulo das experiências
que submergem na nossa inconsciência
quando, à nos olharmos, olhamos para o mundo

restabelecido o perfeito equilíbrio
das partes todas de que somos feitos
nada mais há que nos transtorne
e o lago volta a ser o espelho
onde Narciso se admira e morre.


Fred Matos.

14 comentários:

A garota do copo d'gua disse...

em que espelho ficou perdida a minha face?

belo post
=*

Amiga do Cafa disse...

É preciso mergulhar fundo para recuperar o equilíbrio.
Belo poema !
Obrigada por suas palavras.
Boa semana !

Mirse disse...

Que fantástico esse poema Fred!

Diz tudo que se precisa saber sobre a vida e muito mais.

Destaquei como sempre a parte que me identifiquei e da qual participo me exercitando:

"é preciso descer ao fundo
além de onde a luz permite
onde tudo é absoluta calma
ao lodo denso que retém a alma
substância rica de que se nutre"

A mais pura verdade, embora nem sempre seja agradável, mas é por aí que também se amolece o chumbo.

Parabéns, poeta!

Beijos

Mirse

Adriana Godoy disse...

Mergulhei em seu poema pude respirar mais tranquila. Belo poema, Fred. Diria, um equlíbrio poético. Bj

hfm disse...

De Narciso, do mergulho, de nós. Belo!

fred disse...

Em qual terá sido, garota...?
E já que citas Cecília:

"Eu não dei por esta mudança,
tão simples, tão certa, tão fácil"



Agradeço-lhe por vir, ler e comentar.
Beijos

fred disse...

Eu que agradeço, Amiga do Cafa, pela visita, leitura e comentário.
Beijos

fred disse...

Mais uma vez fico grato pela riqueza do seu comentário, Mirse.
Beijos

fred disse...

Obrigado, Adriana.
O mergulho pode ser doloroso, mas é um alívio emergir.
Beijos

fred disse...

Obrigado, Helena.
Saudades.
Beijos

malmal disse...

e veja, meu Querido, vim hoje buscar alimento,já que me sentia um tanto quanto vazia e vi seu post.

Delicia de poema, tão meu, como só meus mais queridos amigos podem saber, tão vc, poeta mais que perfeito.

Obrigada sempre, sinto saudades enormes.

bijos

fred disse...

Não tem nada a agradecer, Suzy.
Beijocas.

Batom e poesias disse...

Esse perfeito equilíbrio
das partes todas de que somos feitos existe enquanto se vive?

Seria muito bom que nada mais houvesse a nos transtornar

Bjs
Rossana

fred disse...

O equilíbrio existe no ato de buscá-lo, Rossana.
Assim sendo, a busca (o caminho) não tem um fim, exceto em si mesma, como a vida que é, nada mais, nada menos, que o percurso.

Considerando-se assim, a busca deixa de ser um transtorno, porque ela é o próprio objetivo.
Obrigado por vir, ler e comentar.
Beijos

pesquisar nas horas e horas e meias