quarta-feira, fevereiro 24

quimeras



ilustração: Mel Brackstone
"The tree"


a noite é uma invenção da sombra
tal a paixão é dos homens solitários
prenhes de silêncios sonhos luares

e cada passo é uma ilusão que tomba
enquanto quimeras se somam e criam
o universo autônomo da poesia


Fred Matos

20 comentários:

Francisco de Sousa Vieira Filho disse...

Colagens e novas idéias:

Poesia - no fim das contas - é desnudar-se, então, se é pra fazê-lo que seja sem pudores... Também no fim das contas, nem sempre o que a nudez revela é algo belo ou digno de apreciação risos... poemas falam quase sempre do que não podemos transmitir a outrem com nossos signos primitivos... ousar poetisar é reconhecer, sem frustração, nossa incapacidade de comunicarmos certas idéias e sentimentos... e, sobretudo, reconhecer haja beleza nisto...

'E a quem queira definir a poesia
Tanto mais se afasta
Tanto mais se distancia'


Francisco de Sousa Vieira Filho

Faz lembrar uma passagem de Kahlil Gibran em que questionava o que teria sido do primeiro poeta ao largar o arco e divisar a beleza de um nascer ou pôr-do-sol e tentar explicar [com palavras] isso [que sentia] para seus companheiros de armas [quase todos guerreiros rudes e via de regra insensíveis]... provável daí tenha surgido a figura do skäld nórdico, uma espécie de guerreiro-bardo...

Enfim, definir pra quê se o bom é apreciar, sentir e fazer? Muita gente nem escreve uma só linha e é mais poeta que muitos que se debruçam sobre o papel... já me traindo, diria, ser poeta seria mais como um modo de vida e de pensar... e - pra me apropriar aqui - habita, sim, um universo próprio de quimeras que lhe engendram...

Belíssimo texto...

Sandra Botelho disse...

E nesse universo que quimeras formam...
Nuvens de paixão deformam,
o que antes era magia!

Bjos meus e tenha doces dias.

Fred Matos disse...

Seu comentário é uma pérola, Francisco.
Agradeço-lhe comovido.
Grande abraço

Fred Matos disse...

Agradeço-lhe, Sandra, pela visita e comentário poético.
Beijos

Hercília Fernandes disse...

Belíssimo, Fred.

Suas quimeras me comoveram, tamanha a beleza, verdade e sinceridade do dizer poético.

Um forte abraço,
H.F.

Adriana Godoy disse...

Fred, adorei sua noite e suas sombras. Fez-se assim mais um belo poema. beijo

Fred Matos disse...

Obrigado, Hercília. Comovido fico pelas suas sempre gentis palavras.
Beijos

Fred Matos disse...

Obrigado, Adriana. É sempre com alegria que recebo a sua visita e comentário.
Beijos

Batom e poesias disse...

A poesia reside mesmo num universo autônomo.
Bom te ler, Fred.
Sempre.
Bjs

Rossana

Graça Pires disse...

Quando "a noite é uma invenção da sombra" é que o poeta encontra nas palavras o seu espaço de liberdade.
Beijos.

Fred Matos disse...

Rossana,
Obviamente que os universos da poesia e o da “realidade”, se é que se pode chamar assim este outro lado do espelho, porque sequer creio na existência desta tal de realidade, que se existe não creio que seja “uma” apenas, mas múltiplas realidades, no mínimo uma para cada pessoa...

Ressalva feita, volto ao que dizia:

Obviamente que os universos da poesia e o da “realidade” comunicam-se e contaminam-se, sendo assim, apesar de autônomos, não gozam de autonomia absoluta, pois, por mais fantasiosa que seja a poesia ela, para expressar-se, e nem digo ser compreendida, precisa de, no mínimo, utilizar-se de uma linguagem e um meio que são produtos do universo “real”.

Agradeço-lhe a visita e comentário.
Beijos

Fred Matos disse...

"o poeta encontra nas palavras o seu espaço de liberdade."

A palavra liberdade sempre me lembra a frase de Cecília Meireles que diz que a “Liberdade é uma palavra que o sonho humano alimenta, não há ninguém que explique e ninguém que não entenda.”,, mas, sim, você tem razão, Graça, nas palavras está o espaço de liberdade do poeta.
Deixa-me contente e agradeço pela sua visita e comentário.
Beijos

Elzenir Apolinário disse...

Boa tarde , Fred, como sempre escritos maravilhosos. Bjs

Fred Matos disse...

Bondade sua, Elzenir. Bondade que agradeço, bem como pela sua visita.
Beijos

Mari Amorim disse...

Olá Fred!
Ler teus poemas acima de qalquer comentário,é sempre uma fonte de reflexão e inspiração.
Peço-lhe licença para deixar um convite,se for possível
Está acontecendo até o dia 07/03 a BlogagemColetiva,
proposta pelo blog http://fio-de-ariadne.blogspot.com
Meu Oscar Vai Para:
Venha conferir e comentar minha participação no:
http://sempretensoesamorcontos&causos.blogspot.com/
Boas energias
Mari Amorim

Fabio Rocha disse...

Nossa, tudo lindo demais nesse post, Fred! Parabéns!

Fred Matos disse...

Claro que irei, Mari.
Agradeço-lhe pela visita, comentário e convite.
Beijos

Fred Matos disse...

Você não morre mais, Fabio: estou vindo do seu blog.
Obrigado.
Abração

Talita Prates disse...

Lindíssima a imagem noturna dos homens solitários prenhes de silêncios.

Ler-te é sempre um deleite, caro Fred.

Um bjo.

Talita
História da minha alma

Fred Matos disse...

Seu comentário me comove, Talita, principalmente porque sou fã da sua poesia.
Obrigado.
Ótimo fim de semana.
Beijos

pesquisar nas horas e horas e meias