quarta-feira, novembro 12

biografia, capítulo um: o parto


Foto: Mário Cravo Neto


obturei de entre os dentes
um alfabeto obscuro
pus vinagre nas hortênsias
e masquei um rolo de fumo
temperado com urtigas

não pensei que por tão pouco
todos os olhos cuspissem fogo
no meu copo de água benta
-- a mais preciosa infusão
de alho sal e pimenta --

a mulher ficou maluca
parecia possuída
as crianças trancadas no quarto
berravam como cordeiros

veio o guarda noturno
dois praças e um sargento

veio o síndico do prédio
e o delegado do distrito

veio um homem de branco
colar enfiado no ouvido

com ele vieram dois touros
um gago o outro caolho

chegou um carro vermelho
com uma escada comprida

fizeram tanto barulho
que não tive alternativa

tomei um raio de sol
e antecipei minha vinda.


Fred Matos


4 comentários:

mariza disse...

lindo, lindo, lindo. um poema perfeito, cheio de imagens, e de interpretações as mais variadas.
amei!

Fred, obrigada pelo apoio à causa. ela é nossa.

beijo

mariza

fred disse...

Mariza, querida. Sua vinda aqui me faz sorrir de orelha a outra. Nos poemas me permito brincar, é meu universo particular, às vezes triste, às vezes lúdico, às vezes louco, às vezes lúcido. Às vezes erro tentando acertar, às vezes acerto de cagada, porque errar sempre é o fim da picada. Mas, com violência não tenho acordo, sou contra visceral e racionalmente, sobretudo quando se trata de violência contra as mulheres, ou contra as crianças. Para essa parada podem contar comigo sempre.
Volte mais vezes para ler minhas besteiras.
Beijão.

hfm disse...

Que final, meu amigo!

fred disse...

Talvez seja apenas o inicio, o primeiro capitulo de uma empolgante novela poética acerca... pra falar a verdade, não sei ainda sobre o quê.
Beijos.

pesquisar nas horas e horas e meias