segunda-feira, novembro 24

contrição


Foto: Mário Cravo Neto



I
nsidiosamente virá. 
A morte virá infalível. 
Bem aventurados os 
que não sofrem com isso.

Eu a espero contrito. 
Tenho sido seu aliado, 
néscio nos cuidados 
que devia ter comigo.

Cedo ou tarde virá 
usando qualquer artifício 
para seu abraço fatal.

Absolutamente morto, 
infinitamente findo, 
serei objeto, abjeto, ábdito.

 

 

Fred Matos publicado em "Eu, Meu Outro"
Editora Poesia Diária
Maio/1999

 

11 comentários:

yehuda disse...

é infalível
invisível
não precisa de rigor mortis
depois da sua visita
a vida a imita

paula barros disse...

Vem para todos, pode vir fantasiada, dançando, galopando, aliviando, amedrontando, sorrindo...

Lendo seus comentários sempre no blog de Yehuda e em outros, vim olhar o seu.

abraços

paula barros disse...

Por aqui ainda, lendo os outros post e olhando as suas fotos.

Estilo de fotos que gosto de fotografar e de apreciar.

abraços

Ca:mila disse...

transcender nos poros das núvens perdidas.

Bruna Mitrano disse...

Ah, o tempo. Infalível chronnos. Belo poema, me comoveu.

fred disse...

É isso, Iosif, virá um dia, mas tenho a vã esperança que se esqueça de vir, ou que venha fulminante como um raio.
Abração

fred disse...

Fico contente que você tenha vindo, Paula e que tenha lido, comentado e gostado das fotos.
Logo mais vou bisbilhotar o seu.
Beijos

fred disse...

Camila,
Você diz de uma maneira tão bonita que faz a morte parecer uma senhora simpática. Me lembrei da letra de Jorge Amado em música de Caymmi:
"é doce morrer no mar
nas ondas verdes do mar"
Beijos

fred disse...

Pois é, Bruna. Caetano disse que é um dos deuses mais lindos. E tanto quanto ele, quero fazer um acordo com o tempo. O mesmo acordo proposto por Caetano: “Peço-te o prazer legítimo e o movimento preciso, quando o tempo for propício, de modo que o meu espírito ganhe um brilho definido e eu espalhe benefícios...E quando eu tiver saído para fora do círculo... não serei nem terás sido.”
Obrigado, amiga, pela visita, leitura e comentário.
Beijos

paula barros disse...

Fred, obrigada pela visita.

É uma árvore de Natal que tinha em Aracaju. Essa foto foi tirada de Atalaia Nova.

abraços

fred disse...

Paula,
Veja que coincidência. Acabei de ver na tv que caiu hoje a árvore deste ano, que seria ainda maior que a que você fotografou e que está no livro dos recordes.
Beijos

pesquisar nas horas e horas e meias