segunda-feira, dezembro 1

coda


não sei quem é o autor da foto


em tudo e por tudo deslocado
liberto pra tomar qualquer destino
palavra ante palavra negaceio
pousar os pés na página ímpar
ainda tenra como a pétala alva
do lírio.


& mais lhes digo sob a pena
do pavão que à beira do caminho
espera comportado a nau de Cronos
ao lado de uma certa senhorita
ainda tenra como a pétala púrpura
do vinho.


& nestas tortuosas paralelas
ditadas por um Narciso louco e cego
nada há que se oculte ou se revele
pois é esta a essência desta coda
ainda tenra como a pétala rara
da alma.





Fred Matos
publicado em "Anomalias".
Editora Kelps
Setembro/2002



7 comentários:

Vieira Calado disse...

Poema muito interessante.

Gostei francamente.

Um abraço

Ca:mila disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Ca:mila disse...

gostei muito do poema bicolor. bicolor como as casas do xadrez e os vestidos das damas.

fred disse...

Agradeço-lhe pela visita, leitura e comentário, Vieira.
Abraços

fred disse...

Obrigado, Camila, fico contente.
Beijo

Pavitra disse...


adorei esse poema, fred!

lindo demais!!

e todas essas pétalas bailam em meus olhos...

fred disse...

Que bom que você gostou, Pavitra, fico contente.
Obrigado.

pesquisar nas horas e horas e meias