segunda-feira, dezembro 1

coda


não sei quem é o autor da foto


em tudo e por tudo deslocado
liberto pra tomar qualquer destino
palavra ante palavra negaceio
pousar os pés na página ímpar
ainda tenra como a pétala alva
do lírio.


& mais lhes digo sob a pena
do pavão que à beira do caminho
espera comportado a nau de Cronos
ao lado de uma certa senhorita
ainda tenra como a pétala púrpura
do vinho.


& nestas tortuosas paralelas
ditadas por um Narciso louco e cego
nada há que se oculte ou se revele
pois é esta a essência desta coda
ainda tenra como a pétala rara
da alma.





Fred Matos
publicado em "Anomalias".
Editora Kelps
Setembro/2002



7 comentários:

Vieira Calado disse...

Poema muito interessante.

Gostei francamente.

Um abraço

Anônimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Anônimo disse...

gostei muito do poema bicolor. bicolor como as casas do xadrez e os vestidos das damas.

fred disse...

Agradeço-lhe pela visita, leitura e comentário, Vieira.
Abraços

fred disse...

Obrigado, Camila, fico contente.
Beijo

Pavitra disse...


adorei esse poema, fred!

lindo demais!!

e todas essas pétalas bailam em meus olhos...

fred disse...

Que bom que você gostou, Pavitra, fico contente.
Obrigado.

pesquisar nas horas e horas e meias