segunda-feira, dezembro 1

insular


não sei quem é o autor da foto


nenhuma estrela no céu
nem lua
                  só negrume

e a chuva
intérmina
faz da casa
ilha na ilha

e de mim
ilha na casa

contando as goteiras do telhado.


Fred Matos

10 comentários:

nd disse...

Bom poema, Fred. Um abraço.

fred disse...

Obrigado, Nuno.
Contente por sua presença, leitura e comentário.
Abraços

Adair Carvalhais Júnior disse...

Eu também gostei Fred.

fred disse...

Obrigado, Adair.
Estive em Beagá semana passada, mas cheguei às 22 horas e voltei na noite seguinte. Um dia inteiro de reuniões: não deu tempo nem pra te ligar. Fica para a próxima, ou pra quando você quiser vir a Maceió.
Abração

Elizabeth F. de Oliveira disse...

Olá, Fred!
Agradeço a visita no meu blog.
Gostei muito do poema; gosto de concisão.
Grande abraço,

yehuda disse...

ilha, imagem intensa e tensa
exposta em poema denso
perfeito

abraço

fred disse...

Agradeço-lhe, Elizabeth, pela leitura e comentário. Fico contente que você tenha gostado.
Grande abraço.

fred disse...

Obrigado, Iosif, você é generoso demais com este seu amigo.
Abração

Maurício disse...

Este é um pequeno GRANDE poema.

fred disse...

Você hoje está muito generoso, Maurício. Obrigado.
Abraços

pesquisar nas horas e horas e meias