sábado, janeiro 3

exercício satírico para um casal que se merece


ilustração: Jan Saudek


é um porrão de merda
as pernas dois pilões
o cabelo náilon ordinário
os seios dois limões
de sumo já extraído

bem a merece o marido
que já perdeu os colhões.

este filho de vigário
faz-se de tudo esquecido
sempre se faz necessário
lembrar-lhe que é indevido
homem usando vestido.

bem o merece a esposa
que se veste ao contrário

da boca aos borbotões
saem asneiras mugidos
semelha ter engolido
e ainda não ter digerido
os sinos do campanário

bem a merece o marido
rematado salafrário

resulta desnecessário
dizer que entorpecido
este pobre escriturário
ficou muito ofendido
vendo estranho plenário

eles bem que se merecem
e a este obituário.


Fred Matos.
18/06/2003


12 comentários:

yehuda disse...

tudo hilário
desde a foto até a ultima palavra
humor negro tem lugar
neste mundo de merda
de seios flácidos
e colhões de amendoim torrado
e viva o deboche
nada mais é doce

Bruna Mitrano disse...

Inédito? Isso precisa ser publicado. Mui-to bom. Nem sei mais como elogiar, você me deixa sempre boquiaberta, escreve pacas (e olha que odeio rasgação de seda...rs).

Luísa disse...

Fred,
bela forma de apresentar os desamores empáticos...

Adorei!!!

fred disse...

Iosif,
Quando escrevi este poema, em 2003, a nossa saudosa amiga Eliane Stoducto pensou que eu me referia ao casal Garotinho, mas eu nos os conheço e a semelhança, se há, é, neste caso, mera coincidência.
Grande abraço.

fred disse...

Bruna,
Já não me animo a meter a mão no bolso para editar meus livros. Foi assim que publiquei os dois primeiros, que são de poemas ("Eu, Meu Outro" e "Anomalias"). O terceiro, (Melhor que a encomenda) de contos, foi publicado graças ao extinto Selo Letras da Bahia, da Fundação Cultural do Estado.
Como não tenho como distribuir comercialmente e tenho o estúpido prurido de não os vender pessoalmente, restam algumas centenas de livros encaixotados. Outras centenas eu fiz a distribuição gratuita aos amigos, arcando inclusive com custos de correio.
Se eu não mudar de idéia, porque nunca se sabe o que a vaidade pode fazer de um velho caduco, doravante publicarei apenas na Internet, exceto a possibilidade de algum editor resolver apostar no meu texto, coisa difícil de acontecer, porque não me animo a enviar originais para editoras, nem a freqüentar igrejinhas.
Eu fico contente com o seu comentário, porque acredito na sua sinceridade.
Beijo

fred disse...

Obrigado, Luisa,
Fico contente por você gostar.

Chris disse...

Olá, caramba muito legal esse texto, a fotografia baseadíssima em palavras de um humor e "realidade" em pares.

Parabéns !
Bjs,
Chris

Regina disse...

Gostei. A gente entra no clima desde o primeiro verso. Palmas pra vc. Fred.
abraço
Regina

fred disse...

Obrigado, Chris.
Fico contente por você gostar.
Beijos

fred disse...

Obrigado, Regina, pela visita, leitura e comentário.
Abraço

Ariane disse...

Bem, já disseram-te tudo! Resta-me então deixar-te meu abraço e admiração!

fred disse...

Obrigado, Ariano.
Abraço

pesquisar nas horas e horas e meias