sexta-feira, janeiro 2

onã


ilustração: Kim Weston


na parede um quadro
janela aberta
para a imaginação
uma tela... ela... tesão...

tinta, tanta cor
trama tantra yoga
joga o jogo chão
e a luz me afoga

segue a cantilena
à pele morena
quando a mão afaga
e o falo fala.




Fred Matos
publicado em "Anomalias".
Editora Kelps
Setembro/2002


12 comentários:

Bruna Mitrano disse...

Acho que é o primeiro poema sobre onanismo que leio. Você faz tudo ficar belo, ficar poesia. Adorei o jogo com as palavras "falo" e "fala".

Luísa disse...

Vejo um quadro no chão,
com a mão pusada em aflição!
Vejo um quadro na parede,
com olhar lançado às feras que o olham!

Muito bonito!Gostei!

Luisa disse...

arrasou no texto e na foto.

Beijo.

fred disse...

Eu não conheço outro, Bruna, mas é possível que haja.
Agradeço-lhe a visita, leitura e comentário.

fred disse...

Que bom que você gostou, Luísa.
Obrigado.

fred disse...

A foto é mesmo ótima. Quanto ao texto, só me resta agradecer a gentileza do seu comentário, Luisa.
Beijo

Taiyo Omura disse...

belo pêlo pubiano
tê-lo poeta pub urbano
falo-te de falo para outro
pela poesia que percebo bela
peladabela rima

belo blog
bloglobo girante
em pênistórias pingantes
em cada pingo de í

joeldo disse...

Fred,
Adoro essa sua vertente concreta.
Aqui, de um concreto feito de pele, pêlo e veia.
Só você mesmo para criar uma imagem tão perfeita, com tão poucas palavras.
Um abraço,
Joeldo

fred disse...

Taiyo
pelas rimas
agradeço-te
por ter vindo
por ter lido
pelos pingos
nos meus ís
abraço-te
enfim.

fred disse...

Bondade sua, homem bom, bom Joeldo.
Abração.

joão pedro wapler disse...

anomalia rima e combina perfeitamente com poesia.
de repente tu podes gostar do meu blog:
www.poesiaimoral.zip.net

fred disse...

Já estive lá e gostei, João Pedro.
Agradeço-te a visita.
Volte sempre.
Abraços

pesquisar nas horas e horas e meias