terça-feira, janeiro 27

notoriedade


outro poema que sobrou do Anomalias


não sei quem é o autor da foto


do décimo segundo piso
atirou-se à notoriedade...
mas pousou, ignorado,
a sete palmos do chão.

a notícia àquele dia
foi a queda de um avião.


Fred Matos

4 comentários:

ma grande folle de soeur disse...

da notoriedade e sua relatividade...

fred disse...

exatamente.
Obrigado, amiga.
Beijos

Aline Aimée disse...

Gostei. Lembrei do poema "notícia de jornal".

fred disse...

Aline,

Primeiro pensei que você estava se referindo ao "Poema do jornal" de Carlos Drummond de Andrade:


"O fato ainda não acabou de acontecer
e já a mão nervosa do repórter
o transforma em notícia.
O marido está matando a mulher.
A mulher ensangüentada grita.
Ladrões arrombam o cofre.
A polícia dissolve o meeting.
A pena escreve.


Vem da sala de linotipos a doce música mecânica."


Depois me lembrei da música Notícia de Jornal, composição de Luis Reis e Haroldo Barbosa, que Chico Buarque gravou:

"Tentou contra a existência
Num humilde barracão.
Joana de tal, por causa de um tal João.

Depois de medicada,
Retirou-se pro seu lar.
Aí a notícia carece de exatidão,
O lar não mais existe
Ninguém volta ao que acabou
Joana é mais uma mulata triste que errou.

Errou na dose
Errou no amor
Joana errou de joão
Ninguém notou
Ninguém morou na dor que era o seu mal
A dor da gente não sai no jornal."


Talvez a sua lembrança não seja nem da música nem do poema, mas agradeço pela presença, leitura e comentário.

pesquisar nas horas e horas e meias