sexta-feira, fevereiro 6

serenata



Ontem foi aniversário da amiga Suzi, Malmal a quem é dedicado este poema que eu já havia publicado no blog no dia 13/10.

 

não sei quem é o autor da foto


se pudesses vestir-te com a minha pele
se pudesses pensar com o meu coração
se pudesses sentir com a minha imaginação
ouvir com os meus olhos
caminhar com as minhas mãos
saberias decifrar as melodias
que sopra o sol quando raia o dia
e assobia a lua quando chega a escuridão.

nada há que valha o que vale a serenata
a música dos pássaros das palavras as asas
do silêncio o cio o início desta história
que deve ser breve para que perdure
o tempo exato de uma brisa leve
porque a vida é um instante apenas
como uma flor que desabrocha e murcha
mas deixa as sementes que germinarão.


Fred Matos.

10 comentários:

Cris Animal disse...

Lindo poema e ...muita luz e paz para sua amiga!
beijo
..........cris Animal

fred disse...

Obrigado, Cris.
Beijo

Cosmunicando disse...

o poema é belíssimo, a foto também.
não tenho ido ao multi, mas deixo aqui registrados meus votos de felicidade pra Malmal =)
bjos

fred disse...

Obrigado, Mercedes.
Também faz muito tempo que não vou ao Multiply, mas deixei os parabéns de Malmal no blog dela.
Beijo

ma grande folle de soeur disse...

do belo... :)

Efigênia Coutinho disse...

Olá Fred, passei para ler um pouco seus escritos do blog, e desejar um bom fim de semana, aqui sempre tem novidades, isso é gratificante,
Efigênia Coutinho

fred disse...

Obrigado "ma grande folle de soeur".
Beijo

fred disse...

Obrigado, Efigênia.
Beijo

malmal disse...

Bom demais Fred, sempre me emociono ao ler e ao lembrar desse tempo em que ambos tínhamos mais tempo, lembro-me perfeitamente de quando me dedico o poema.
Hoje, talvez mais calma, ainda bebedora de vinho, mais velha e alienada com o tempo, creio tb ser mais feliz.
Tão só quanto antes mas em comunhão com a D. Solidão.

Te beijo,te agradeço e te espero rsrsr meu querido Feio.

bijão

PS.. vou passar no blog da Mercedes, tb ando afastada do multi

fred disse...

Pois é, Malmal. A sua deprê naquela época me preocupava e o poema foi escrito a propósito pra levantar o seu astral.
Você merece.
Beijão.

pesquisar nas horas e horas e meias