domingo, março 15

eclipse


ilustração: Jan Saudeck


a minha sombra
eclipsa a luz

gato
esgueiro-me
lenta e
silenciosamente
entre as negras
gretas
da noite

perenemente úmidas
as palavras são
sóis
a sós.


Fred Matos

20 comentários:

Máah Castro disse...

ah, brigadaa :D
já pegueei o selinhooo


beeijos

Adriana disse...

"gato
esgueiro-me,
lenta e
silenciosamente,
entre as negras
gretas
da noite" Adorei esses versos especialmente. Beijo.

yehuda disse...

no caminho da vida
perdi aos poucos a melodia
a reencontro na sua poesia

abraço amigo

fred disse...

Por nada, Máah.
Beijos

fred disse...

Obrigado, Adriana.
Beijos

fred disse...

Um abração, Iosif.

Adriana disse...

bela tua composição de sóis a sós,ficou rítmico dentro de sua densidade.

Cris Animal disse...

Gatos sempre andam só, mas nunca estão só.
Sua poesia me lembrou uma imagem que ficará para sempre na minha lembrança. Uma linda imagem!

beijo
...............Cris Animal

VFS disse...

"perenemente úmidas
as palavras são
sóis
a sós."


meu Amigo,
a luz está nestas palavras.
e são bem quentes!

(tens um selo no meu blog)

abraço
Vicente

fred disse...

Obrigado, Adriana.
Beijos

fred disse...

Obrigado, Cris. Fico contente por trazer-lhe boas lembranças.
Beijos

fred disse...

Agradeço-lhe, Vicente.
Já peguei o selo.
Grande abraço

glória disse...

essa umidade das palavras vem dessas fendas de intimidades que as envolvem. de outro modo, brilham na espera das escrituras, efeito solar das palvras. teus poemas sào tão dizíveis e usam de tào poucas palavras!

Queria te dizer, agora com mais vagar, que fiquei contente em teres apontado meu blog. eu admiro teus escritos e ter sido apontada por vc. é muito bom!
bjs

fred disse...

O linhas ao vento é um ótimo blog, Glória, ao meu critério apenas fiz justiça ao escolhê-lo. Por outro lado, agradeço-lhe a presença constante, a leitura e os comentários sempre muito enriquecedores. Devo confessar que este talento para a crítica é algo que me inveja: é muito raro que nos meus comentários eu vá além do trivial e, por isso, muitas vezes passo nos blogs e não digo nada.
Beijos

Ana Martins disse...

Caro Fred,
"a minha sombra
eclipsa a luz..."

Muito forte!!!!!!!

Beijinhos,
Ana Martins

fred disse...

Obrigado, Ana.
Maior que a minha sombra só mesmo o meu ego (risos).
Beijos

Eduardo Matzembacher Frizzo disse...

Caro Fred. Realmente, "as palavras são sóis a sós". Isso resume sua intenção com uma crueza felina que chega a doer em quem sequer intui o que você diz. Mas em quem sabe que somente da palavra é que se faz o mundo, já que nós, binômios de história e língua por sobre uma soma de osso e carne, a dor não chega a doer mas, ao contrário, constrói o prazer da arte. E é isso justamente o que fazes. Cheguei até seu espaço na rede através do Linhas ao Vento da Glória. E pelo visto, não será a última vez que por cá virei. Um abraço e belo início de semana.

fred disse...

Agradeço-lhe a visita, leitura e comentário, Eduardo, esperando que você volte sempre.
Oportunamente o visitarei também.
Abraços

batomepoesias.blogspot.com disse...

Descobri seu blog por acaso, pesquisando um poeta francês...
"Eclipse", se fosse uma tela, seria de Caravaggio.
Adorei conhecer alguns de seus poemas.
Parabéns!

fred disse...

Fico contente que o acaso a tenha trazido, batom e poesias, que tenha gostado e se tornado acompanhante do blog.
Obrigado.
Beijos

pesquisar nas horas e horas e meias