terça-feira, março 17

a essência dos meus sonhos


Foto: Fred Matos


ainda não sei as palavras
que ficaram adormecidas
sob as cinzas das idades

minhas mãos não se firmam
tateiam geografias insulares

em um bosque de fantasias
a realidade tropeça nos mistérios
que nunca serão desvendados

a essência dos meus sonhos
antecede a eternidade.



Fred Matos

22 comentários:

Mari Amorim disse...

Poeta,
Lindo,parabéns!
beijão

ari

fred disse...

Obrigado, Mari.
Beijos

glória disse...

as mãos têm outros pressentimentos de tempo. essas geografias que se rendem à passagem das horas não cabem nos sonhos. Eles transitam rente a eternidade não é poeta?

fred disse...

o tempo dos sonhos, Glória, se é que os sonhos têm tempo, é o instante da fantasia onde convivem concomitantemente presente futuro e passado.
agradeço-lhe a leitura e comentário.
beijos

Adriana disse...

Belo poema, Fred que leva à essência da alma, "a essência dos meus sonhos
antecede a eternidade." lindo!

fred disse...

Obrigado, Adriana.
Beijos

Helena Figueiredo disse...

Portugal e Brasil juntos na poesia.
Saudações

malmal disse...

"
em um bosque de fantasias
a realidade tropeça nos mistérios
que nunca serão desvendados"

me too...mas vc consegue colocar no papel...

bijok

fred disse...

Se um oceano nos separa, um idioma nos une, Helena.
Agradeço-lhe a visita, leitura e comentário.
Saudações.

fred disse...

Você também consegue, Malmal.
Obrigado, querida.
Beijão

Amélia disse...

Sanbes que gosto já muito dos teus poemas.Mas gostava mais de os poder comentar comentar na nossa lista...beijo amigo

fred disse...

Agradeço-lhe, Amélia.
Beijos

Cosmunicando disse...

lindo... não sei destacar que verso gostei mais.
beijos

fred disse...

Obrigado, Mercedes.
Fico contente por você gostar.
Beijos

nina rizzi disse...

ei fred, que coisa mais boa-boa...
e acabo de vir de uma das minhas aulas preferidas de geo...

hm. vou fazer algo...

beijo.

ah, demais a música das horas :)

Maria Muadiê disse...

ainda não sei as palavras
que ficaram adormecidas
sob as cinzas das idades

Fiquei tocada, não sei o que adormeceu nas minhas cinzas...Mas que há cinzas, há. Farei aniversário no final do mês.

Estamos sem Gey, pior pra nós.
Um beijo,Fred.

fred disse...

Obrigado, Nina.
Beijos

fred disse...

Pois é, Martha, o Gey abre uma lacuna na cultura da Bahia, além do grande cara que foi.
Agradeço-lhe a leitura e comentário.
Beijos

Ana Martins disse...

Excelente poeta... Parabéns!

beijinhos,
Ana Martins

fred disse...

Grato, Ana.
Beijos

myra disse...

tambem este, enfim acho que gosto de tudo que escreve!
outro abraço,
myra

fred disse...

Agradeço-lhe, Myra.
Beijos

pesquisar nas horas e horas e meias