terça-feira, abril 14

os sonhos não morrem


não sei quem é o autor da foto


Sentir o calor da sua pele...
(macia, morena e morna)
remete-me ao nosso passado,
contraste do presente.
Compartilhávamos sonhos
que nunca abandonei.

Você ainda usa os anéis
com símbolos de paz e amor,
ouve Joplin e The Who,
mas entendeu errado
o recado que Lennon cantou.

I don`t believe in Lennon
I just believe in me
You and me
And that`s dream.

Toma-me, nos braços,
como a mãe a um filho
carente de ternura e compreensão;
como uma filha ao pai
que requer amparo,
como amiga, amante, irmã;
não como proprietária
ao seu quinhão.

"... for the first time in my life
my eyes are wide open...
... for the first time in my life
my mind can feel..."

Olha-me nos olhos,
não para onde eles olham,
e serão os seus que eles verão.




Fred Matos
publicado em “Eu, Meu Outro”
Editora Poesia Diária
Maio/1999

34 comentários:

Lygia disse...

Boa tarde Fred.

Há tempos venho acompanhando seus escritos. Não existe comentário a fazer sobre sua obra. Só gostaria de deixar registrada minha admiração e meu respeito.

Um abraço

fred disse...

Ô, Lygia, fiquei comovido.
Obrigado.
Beijos

Ines Motta disse...

Olá, Fred.
Belo poema. Aliás, não só esse, mas tudo que já tenho lido nesse sítio.
Parabéns!
Um abraço.

fred disse...

Obrigado, Ines.
Deixa-me contente que você goste dos poemas e do blog.
Beijos

Mari Amorim disse...

Fred,
Melhor que a encomenda,e ler Anomalias,ouvindo Beatles,nas horas e horas e meias!
Estou feliz e emocionada.
Muito obrigada.
beijos
Mari

Lou disse...

Que bom que os sonhos ignoram os atos falhos tão comuns à faceta humana, não?!

Abraços,
Lou

Hercília Fernandes disse...

"Olha-me nos olhos,
não para onde eles olham,
e serão os seus que eles verão".

Lindíssimo, Fred. Um miúdo dentro de um belo e grandioso poema.

Abraços :)

H.F.

fred disse...

Não tem do que, Mari.
Beijos

fred disse...

Creio que são os sonhos, apenas os sonhos, que movem a espécie humana, Lou.
Obrigado, pela leitura, comentário e por tornar-se acompanhante do blog.
Beijos

fred disse...

Obrigado, Hercília. Deixa-me contente que você goste.
Beijos

Fernanda! disse...

Fred vc tem uma bom incrivel, gosto disso em vc.

Perfeito!


Bjos de luz!

fred disse...

Obrigado, Fernanda.
Bom te ver aqui.
Beijos

Mirse disse...

É meu amigo! Ou estou "out of life" ou já morri e não sei!
Todos os meus sonhos foram destruídos. O último é esse; escrever e ler.
Que bom que você ainda os tem. Deve ser por isso que compõe tão belos poemas!

Forte abraço

Mirse

Batom e poesias disse...

Não quero ser redundante, sendo:
Lindo poema Fred.
De verdade!

Beijos

fred disse...

Eu creio que não saberia viver sem sonhos, Mirse.

Talvez não te ajude, mas para uma amiga que se sentia como você escrevi este poema:

o que passou é passadonão se deixe ficar eternamente
no gólgota à sombra dos crucificados
o dia amanheceu sorridente
tudo o que passou é passado

hoje amanheci contente
nada há que requeira meus cuidados
aquele que fui ontem fui somente
porque a ele eu estava acostumado

o sol é o meu novo entorpecente
qualquer um lume me deixa alucinado
tanto ou mais que mil copos de aguardente

e quando eu fico assim neste estado
a luz que há lá fora reluz internamente
e rio-me do meu outro acabrunhado.

Beijos, amiga.

fred disse...

Obrigado, Rossana. Fico contente quando você gosta e comenta.
Beijos

Adriana Godoy disse...

Esse é o sonho, Fred. Escrever tão bonito, em tão lindos versos. Mesmo que com outros olhos. Beijo.

Cosmunicando disse...

que coincidência Fred, acabo de ler uma biografia do Lennon e ainda impregnada daquilo tudo venho ler teu belíssimo poema... os sonhos são parte integrante da nossa existência.
bjos

Adriana disse...

poxa,um poema bilíngue...The who e JOplin, tantas boas referências...adorei!

Mirse disse...

Obrigada, Fred!

E quando o ontem continua no hoje?

Amei o poema!

Vou ver o que faço!

Abraços

Mirse

fred disse...

Obrigado, Adriana.
Deixa-me contente que você tenha gostado.
Beijos

fred disse...

São, sim, Mercedes.
Obrigado, amiga.
Beijos

fred disse...

Que bom que você gostou, Adriana.
Obrigado.
Beijos

fred disse...

Mirse,
Se já é muito difícil palpitar acerca das circunstancias de pessoas próximas, é quase impossível quando se trata de pessoa da qual sabemos quase nada. Portanto, tudo que posso dizer é que, em se tratando de mim, se o ontem continuasse no hoje como um estorvo, como um empecilho para o sonho, como um pesadelo, eu procuraria libertar-me dele, ou, na pior das hipóteses, eu o abstrairia. Mas é claro que sei que em algumas circunstâncias isso é bem mais fácil de dizer que de fazer.
Fique bem, amiga.
Beijos

dila disse...

Oi!

Bjs c muito AMOR

fred disse...

Beijão imenso pra você, Lick.

yehuda disse...

um dos seus melhores poemas
abraço

Momentos felizes...(Juliana Moreira) disse...

Lindo blog. Venho convida-lo a visitar meu blog...ficarei feliz !!Abraço

fred disse...

Obrigado, Iosif.
Abração

fred disse...

Agradeço-lhe, Juliana.
Já visitei: é um belo blog.
Beijos

Ígor Andrade disse...

Ler o poema ouvindo Joplin e Lennon fica ainda melhor. rs
Abraço, Fred!

Elis Zampieri disse...

Passando pra te ler e me encantar! (mais uma vez) :-)

fred disse...

Agradeço-lhe, Ígor, a visita, leitura e comentário.
Abração

fred disse...

Bondade sua, Elis.
Obrigado.
Beijos

pesquisar nas horas e horas e meias