quarta-feira, abril 1

paradigmático



Foto: Fred Matos


reorganizar a razão
condicionada às regras
rígidas dos paradigmas
dos preconceitos dos esquemas
matemáticos da geometria
euclidiana das regras de três
de quatro de cinco de seis
dos conselhos dos governos dos gabinetes
das calças de gabardine
dos gabaritos dos parâmetros
da fita métrica dos decimais
das distâncias das circunstâncias
das obsolescências das artes
cênicas da cerâmica
dos circuitos integrados
dos átomos dos palmos dos dedos dos íons
das unhas encravadas das circunferências
das palestras das arestas dos estetas
dos profetas dos infinitos dos necrófagos
dos astrolábios dos bons modos
dos dicionários
das sintaxes da solicitude
da licenciosidade das mariposas dos gatos
dos astutos dos letrados dos lúcidos
dos suicidas dos chacras dos mantras
dos astros das madrugadas das raposas
das uvas das viúvas das válvulas
das loas e das leoas dos elefantes
das vulvas das esposas
das colheres garfos e facas
das galinhas e das vacas
do estrume dos costumes
dos nomes
dos nômades dos neurônios
das palafitas das catedrais
dos generais das rotinas
das rosas das margaridas dos madrigais
da ópera da capoeira da ratoeira
dos projetos dos projéteis das projeções
das interjeições
dos pontos parágrafos
e
finais.




Fred Matos

6 comentários:

betina moraes disse...

fred,

eu gosto muito de quando o verso é feito no jogo das vogais e sonoridades!

ficou bem bacana e muito bom de ler.

é arte difícilima ir ajunstando sons e significados. você conseguiu!

grande abraço!

Ariadna Garibaldi disse...

Quando penso que nada mais me surpreende, venho aqui e me deparo com este jogo de palavras... Li e reli, como sempre faço com tudo o que gosto. Parabéns por mais este!!!

(Não sumi, mas tenho me ausentado por causa do trabalho, da fuga da inspiração e do escritório que estou abrindo na cidade vizinha. Não tenho escrito coisas relevantes, mas logo a inspiração volta e eu também)

Beijos

Adriana Godoy disse...

Os paradigmas cartesianos ou não mostrados nesse poema rico de imagens, de aliterações, sinalizam uma reflexão. No momento não sei qual, mas vou descobrir. Brilho, Fred. Bj

fred disse...

Obrigado, Betina.
Deixa-me contente que você tenha gostado.
Beijos.

fred disse...

Obrigado, Ari.
Que a sua inspiração volte logo: eu bem sei como são essas entressafras.
Sucesso no novo escritório.
Beijos

fred disse...

Adriana,
Não poderia haver elogio maior ao poema que ele induza a qualquer reflexão que leve à quebra de qualquer paradigma.
Agradeço-lhe a leitura e comentário.
Beijos

pesquisar nas horas e horas e meias