quinta-feira, maio 14

pois bem


ilustração: René Magritte


[pequena comédia]


pois bem, vejamos,
aquilo que ainda é oculto,
pimenta no sorvete de morango,
um cego que tem medo do escuro,
o laço que não ata nem aperta,
o louco que mantém a mente alerta,
enterro de anão
e a cova

a b e r t a

onde vou plantar meus absurdos.


senão, vejamos...
mas, contudo,
talvez o que me falte em conteúdo
me sobre em ousadia [ou em pirraça]
e eu possa...

não,
não posso,
[por mais que queira]
tomar um outro copo de cachaça
nesta noite de segunda-feira.

assim, porém,
os dias vão passando lentamente
e é certo que eu fique eternamente
na sombra de uma figueira-de-bengala
atento ao rebolado das mulatas
até que a lua venha em meu encalço,
até que caia neve na caatinga,
até que me nasçam novos dentes
e eu possa novamente rir de mim.



Fred Matos
publicado em "Anomalias".
Editora Kelps
Setembro/2002


14 comentários:

yehuda disse...

de verdade nada está oculto
loucuras a luz do dia
merecem aplausos dos jornais
é isso nada significa, deixou de ser loucura,
desejar a mulher do vizinho é lucidez divina
me espera na sombra da figueira, loucura seria rejeitar o rebolado da mulata

Adriana Godoy disse...

Que beleza, Fred..."até que me nasçam novos dentes
e eu possa novamente rir de mim." Delícia...é isso. beijo.

fred disse...

Grande Iosif, sempre contente com a sua visita, leitura e comentário.
Obrigado.
Abração

fred disse...

Obrigado, Adriana.
Bom que você gostou.
Beijos

Batom e poesias disse...

Não te falta conteúdo. Mas sobra também pirraça.
As delícias do absurdo.

Adorei Fred.
como sempre!

bjs
Rossana

Renata de Aragão Lopes disse...

Pois eu rio desde já! rs

Obrigada por acompanhar meu blog, Fred. Passearei também pelo seu. Um abraço.

Cosmunicando disse...

mas que primor de poesia... isso tá artesanalmente perfeito e com humor... adorei.
bjos

fred disse...

Obrigado, Rossana, você é muito gentil.
Beijos

fred disse...

Venha sim, Renata.
Agradeço-lhe a visita, leitura e comentário.
Abraço

fred disse...

Que bom que você gostou, Mercedes.
Agradeço-lhe.
Beijos

lumenamena disse...

Retribuindo a visita.
A poesia é linda envolvendo intranquilidade, angústia e melancolia.
Abraços!

Teresa Maia disse...

Tenho um blog que nao escrevo. não tenho talento. mas, é um fone ouvido pro mundo dos outros. me liga com muita gente. surpresa vi vc entre as pessoas que visitaram o mesmo. achei que só amigos andavam por la. resolvi retribuir a visita e agora parabenizar pelo belo escrito cantado que li. grata pela oportunidade.

fred disse...

Agradeço-lhe, Lumenamena, pela visita, leitura e comentário.
Espero que volte sempre.
Beijos

fred disse...

Talvez você só não tenha descoberto ainda o talento que tem, Teresa.
Agradeço-lhe por vir, pela leitura e comentário.
Volte sempre.
Beijos

pesquisar nas horas e horas e meias