sábado, outubro 3

anima


ilustração: Magritte
The False Mirror


a poesia anima o verso
e a lanterna do pescador

aquele sem ela é vazio
aquela sem ela não aclara

não é a vara que pesca
nem é o poema que fala




Fred Matos
publicado em "Anomalias".
Editora Kelps
Setembro/2002

10 comentários:

Wania disse...

... mas os teus versos tem animação própria!

Bonito sempre...
Bjs

Lara Amaral disse...

É a famosa cumplicidade que dá forma a tantas coisas.
Beijos, Fred.

Batom e poesias disse...

O pescador é quem pesca e a poesia é quem fala.

E o poeta escreve bonito demais...

Bjs e ótimo domingo procê também.
Rossana

Fred Matos disse...

Obrigado, Wania. Seu comentário me comove.
Beijos

Fred Matos disse...

É sim, Lara: neste caso a cumplicidade entre continente e conteúdo.
Obrigado.
Beijos

Fred Matos disse...

"O pescador é quem pesca e a poesia é quem fala."

Na mosca, Rossana.

Agradeço-lhe por vir, ler e comentar.

Beijos

BAR DO BARDO disse...

... as palavras foram jogadas ao mar e se ligaram na salsugem do inefável...

Fred Matos disse...

"salsugem do inefável" é ótimo, Henrique.
Agradeço-lhe vir, ler e comentar.
Ótimo domingo
Abração

Livinha disse...

"Não é a vara que pesca,
não é o poema que fala"..

Fred,
Há um sentido de alma,
como alma num sentido,
um sem o outro não caminha
são dois braços que se abraçam
nesse trajeto remido...

Parabéns, gostei do teu espaço,
profunda tuas palavras, navegante
do universo...
Obrigada pelo carinho deixado
em meu recanto...
Linda semana junto aos teus

Bjss

Fred Matos disse...

Agradeço-lhe a visita, leitura e comentário, Livinha.
Espero que venha sempre.
Ótimo domingo
Beijos

pesquisar nas horas e horas e meias