segunda-feira, novembro 23

pretexto


não sei quem é o autor da ilustração


entre o chão e as estrelas
quando a noite está quieta
voam os meus pensamentos
mas o corpo fica alerta

e equilibrado no limbo
entre o que sinto e o que penso
a alma arde desejos
mas o corpo fica atento

se a noite é de lua e o vento
sussurra melancolias
o corpo mantém-se cauto

mas a mente fantasia
que o corpo vigilante
é pretexto pra poesia


Fred Matos

40 comentários:

. fina flor . disse...

muito bem finalizado seu poema, querido, gostei muito dos versos finais ;-)

beijos e boa semana

MM.

>>> desisti de desistir do fina flor... ia fechar, mas desisti rs*...

ADEK disse...

Gostei:D*

Marcos Satoru Kawanami disse...

um pêndulo oscilando, no ritmo da redondilha, entre corpo e alma.

gostei do balanço.


=D
marcos

Mariana Andrade. disse...

para mim, tudo é pretexto pra poesia. e vice versa, creio.


ótimo texto. e adorei a imagem.

Tah disse...

Tudo é pretesto pra poesia, poesia é isso tudo que agente quer que seja poesia...
Amei o poema ^^

Essência e Palavras disse...

Texto... contexto... enfim!

Seria tudo pretexto para a poesia?

Adorei suas palavras... muito bom!!!


beeejo e boa semana
;)

Lou Vilela disse...

O corpo como pretexto para a poesia... muito belo, Fred!

Beijos

Natacia Araújo disse...

Belo!
Com ou sem pretexto a poesia nasceu e lindamente!

Nydia Bonetti disse...

Este poema diz tão bem dos embates entre corpo e alma, entre o pensar e o sentir do poeta... Gostei muito Fred.

beijo

Fred Matos disse...

Desistir de desistir é prova de maturidade, Mônica: nem todo mundo tem coragem de mudar de idéia.
E todos os seus leitores e amigos ficamos contentes com a sua decisão.
Agradeço-lhe pela visita, leitura e comentário
Ótima semana.
Beijos

Fred Matos disse...

Obrigado, Ana.
Fico contente que você goste.
Ótima semana.
Beijos

Fred Matos disse...

Obrigado, Marcos.
Ótima semana.
Grande abraço

Fred Matos disse...

Pra mim também, Mariana.
Obrigado.
Ótima semana.
Beijos

Fred Matos disse...

Fico contente que você tenha gostado, Tah.
Obrigado.
Ótima semana.
Beijos

Fred Matos disse...

Agradeço-lhe a visita, leitura e comentário Essência e Palavras.
Ótima semana.
Beijos

Fred Matos disse...

Obrigado, Lou.
Fico muito contente quando você me visita e comenta.
Ótima semana.
Beijos

Fred Matos disse...

Obrigado, Natacia. Deixou-me contente a sua visita, leitura e comentário.
Ótima semana.
Beijos

Fred Matos disse...

Que bom que você gostou, Nydia. Deixa-me muito contente. Obrigado.
Ótima semana.
Beijos

Talita Prates disse...

Muito bom, Fred.
Gostei muito!

Boa semana pra vc tb.
Bjo.

A Moni. disse...

Tudo bem, o corpo intacto, atento, alerta e forte.

Asas à alma, é o que importa.

Abraços, Fred!

walma disse...

interessante a idéia do poema.
onde a alma se materializa no corpo, sendo este ultimo um fantoche nas mãos do primeiro para a realização de seus desejos mais intensos.

Parabens pelo blog e obg pelo comentário no meu.

xerinho.

Kátia Ruivo disse...

poema lindo...a noite é sempre meu pretexto...

Lara Amaral disse...

Maravilhoso! Um sonho o seu soneto.

Beijos.

myra disse...

sim tudo é pretexto para uma poesia, senao voce nao seria o grande poeta que é!
gostei muito, Fred, um grande beijo,

Fred Matos disse...

Obrigado, Talita.
Beijos

Fred Matos disse...

Agradeço-lhe por vir, ler e comentar, Moni.
Beijos

Fred Matos disse...

Gostei da sua interpretação do poema, Walma, e agradeço-lhe pela visita,leitura e comentário.
Beijos

Fred Matos disse...

Pois é, Kátia, para mim são pretextos até determinados sons que ouço quando duas palavras se aproximam e me vejo obrigado a inventar uma situação na qual possa encaixá-las.
Agradeço-lhe por vir, ler e comentar.
Beijos

Fred Matos disse...

Obrigado, Lara.
Beijos

Fred Matos disse...

Você é muito gentil, Myra. "Grande poeta" fica por conta disso.
Obrigado.
Beijos

Adriana Godoy disse...

Muito lindo, Fred. Como o Marcos disse: um pêndulo mágico que nos traz um balanço poético da melhor qualifdade. Beijo.

nina rizzi disse...

Fred, vc não precisa de pretexto pra poesia, meu rei. se bem que, com esse pretexto nos faz viah]jar em nós, em "crisis", do sentido grego: visitar a si mesmo. ê coisa mais boa. a imagem é muto boa. parecem rajadas de luz e me lembrou a noite estrelada de van gogh que, vc sabe, eu adoro.

e que poema este c'a'baixo, hein, meu bem! arre. o caravaggio conseguia dar às suas pinturas uma verdade que só encontro em rubens, tão violento...

em tempo: quiexeramobim faz um calor da peste, mas é bom demais. conhece?

um beijo.

Fred Matos disse...

Obrigado, Adriana.
Beijos

Fred Matos disse...

Conheço não, Nina. No Ceará só fui mesmo a Fortaleza e a trabalho, muitos e muitos anos atrás. Mas ainda invento um ar-condicionado portátil e passo lá pra conferir.
Aquele São Tomé de Caravaggio é mesmo fantástico: ele põe o dedo na ferida, que é, guardadas as proporções, o que me proponho fazer nos meus poemas, com mais delicadeza, contudo.
Agradeço-lhe a visita, leitura e comentário.
Beijos

Maria Andrade Vieira disse...

é bom demais quando a alma concede uma dança com o corpo da gente

Fred Matos disse...

Bom também quando a generosidade dos amigos concede-nos comentários como este seu, Maria.
Obrigado
Beijos

Batom e poesias disse...

Quando se está conectado a um ofício, por amor, tudo passa a ser pretexto.
No caso do poeta, pré texto.

Lindo soneto sob estrelas, Fred.
bjs
Rossana

Fred Matos disse...

Agradeço-lhe, Rossana, por vir, ler e comentar.
Beijos

Soneca disse...

O pescoço é o que separa os mais vis inimigos... e ás vezes
uma dupla que deixa Batman e Robin no chinelo.
Poema do jeito que eu gosto, livre e sincero.

Inté
ps:Desculpe a demora em te desculpar e me desculpar.

Fred Matos disse...

O tempo é sempre relativo, Soneca. O importante é o agora.
Fico contente que você tenha vindo, lido, comentado e, sobretudo, que goste.
Beijos

pesquisar nas horas e horas e meias