segunda-feira, março 29

páthos




Ilustração: Ben Goossens
"Late autumn walk"




creio que há um som perdido
entre a curva da estrada
e a esquina da vida

um som que não faz sentido

que é feito dedo no umbigo
desmanchando o nó neonatal

um som que está guardado

na memória da madrugada
como lágrima de crocodilo

um som surdo tal estampido

som de pesadelo, de pânico
som que não soa, mas sangra


som de páthos ancestral

som de mágoa irracional



Fred Matos

30 comentários:

Juliana. disse...

Cada momento da nossa vida tem um som especial, alguns nos tocam a memória, muitos nos mostram sentimentos, outros enchem nossas vidas de beleza!
Belas palavras Fred!

Fred Matos disse...

Eu não diria melhor, Ju.
Agradeço-lhe por vir e comentar.
Beijos

Francisco de Sousa Vieira Filho disse...

o som da música das esferas talvez... o som do boom primordial... :)

J. disse...

Acho que é o som de uma lágrima...

Beijão, Fred.

Fabio Rocha disse...

nossa, Fred... genial... esse eh dakelas maravilhas que nosso egocentrismo lamenta não ter escrito. poema de ouro. abs e parabens

Lila disse...

Afaste de mim esse som...está a me enlouquecer!
Primoroso, parabéns.
Bjkas

Sil disse...

Gostei!

myra disse...

"creio que há um som perdido
entre a curva da estrada
e a esquina da vida"
adorei esta frase e logico todo o poema, acho vc genial!!!!
beijos

Fred Matos disse...

"o som da música das esferas talvez... o som do boom primordial... :)

Pode ser, também, Francisco, entre tantos sons possíveis, o som das angústias irracionais do homem fera. Ou, ainda, que som seja só uma metáfora.

Agradeço-lhe por vir e comentar.
Abração

Fred Matos disse...

Faz muito sentido, Juliana. Pois o som da lágrima (não o do choro) é um som inaudível, mas expressivo.
Grato pela leitura e comentário.
Beijos

Fred Matos disse...

Seu comentário é comovente, Fabio.
Obrigado.
Abração

Fred Matos disse...

Obrigado, Lila.
Deixa-me contente que você goste.
Beijos

Fred Matos disse...

Obrigado, Sil.
Espero ver você mais vezes aqui.
Beijos

Fred Matos disse...

Você é que é genial, Myra.
Obrigado, querida.
Beijos

Adriana Godoy disse...

Fred, achei bom demais, doido, atávico, ancestral. O som que vem desde que o homem apareceu na face da terra. O som agonizante e forte. O som visceral. Beijo.

Fernanda Matos disse...

Pathos,
Paixão,
Fatos,
São...
Som...

Lindo Fred! bjs
Fernanda

Letícia Mariano. ღ disse...

Sinto sons perdidos a todo tempo... e encontrados também. Melodiando as vidas...

abraço, poeta!

Fred Matos disse...

"O som visceral"

Sim. O próprio.

Obrigado, Adriana, pela leitura e comentário.

Beijos

Fred Matos disse...

Obrigado, Fernanda.
Contente por você gostar.
Beijos

Fred Matos disse...

"Sinto sons perdidos a todo tempo... e encontrados também. Melodiando as vidas..."

Eu também, Letícia. E não estou falando do zumbido que não sai dos meus ouvidos (risos).

Obrigado, amiga.
Beijos

anima.art disse...

Tuga za utrobom majke
u prvom kriku
nemoćnog bića.

Iracionalna tuga,
kao nečujni zvuk,
vapaj predaka.

Zvuk zvona...
Posednje putovanje
beživotnog bića.

Pozdrav, dragi Fred.

Mirse Maria disse...

Sons irracionais e viscerais.

Estarão sempre como companhia em nossas vidas e lidas.

Belíssimo, Fred!

Beijos

Mirse

Valvesta disse...

BOA PÁSCOA
Na impossibilidade de enviar-te um ovo de chocolate, envio um abraço com todo meu carinho.
Que sua Páscoa seja recheada de FELICIDADES e coberta de ALEGRIAS!
♥♥♥

Fabiana Alves disse...

Adorei ouvir este som condensado. Ecoou no meu íntimo!
Belo poema!
Abraço, caro amigo!

Fred Matos disse...

"Iracionalna tuga,
kao nečujni zvuk,
vapaj predaka."


É isso, Nadica.
Agradeço-lhe pelo belo poema.

Beijos

Fred Matos disse...

"Sons irracionais e viscerais.
Estarão sempre como companhia em nossas vidas e lidas."


Creio que sim, Mirse, mas é um tema que me divide.
Às vezes eu penso que seríamos pessoas melhores se conseguíssemos libertarmo-nos destes resquícios animais que são, na minha opinião, responsáveis pelo egoísmo, pela mesquinhez e outros sentimentos doentios que são conseqüência dos primórdios humanos, quando a luta pela sobrevivência era, certamente, mais, muito mais acirrada que atualmente.
Por outro lado, é possível que atingindo esta condição já não sejamos humanos, ou, melhor dizendo, correríamos o risco de tornarmo-nos indivíduos sem paixão, movidos apenas pela racionalidade.

Agradeço-lhe pela visita e comentário.

Beijos

Fred Matos disse...

Obrigado, Val.
Ótima Páscoa pra você também, e para os que lhe são caros.
Beijos

Fred Matos disse...

E eu adorei receber a sua visita, Fabiana.
Obrigado, amiga.
Beijos

Wania disse...

Acho que o amor é um excelente maestro para harmonizar esta melodia, que não prevaleçam os tambores do início, nem se sinta a ausência das cordas da razão no final!

Muito lindo...
Tenho que me repetir, gosto sempre!
Bjão, Fred.

Fred Matos disse...

"que não prevaleçam os tambores do início, nem se sinta a ausência das cordas da razão no final!"

A riqueza metafórica faz deste seu comentário poesia do mais alto nível, Wania. Obrigado.

Beijos

pesquisar nas horas e horas e meias