quinta-feira, maio 27

sapato sob medida




Foto Fred Matos
Sapateiro em Veneza

17 comentários:

Sandra Botelho disse...

Interessante...
Sapatos sob medida é uma boa...
Ao menos pra quem tem um pé um pouquinho menor que o outro não fica perdendo o sapato.Rsrrs. Bjos achocolatados

patricia disse...

un artesano de verdad!
besos, buen fin de semana!!!!

Fred Matos disse...

Surpreendeu-me encontrar em Veneza um sapateiro como há muito tempo não vejo mais no Brasil. Um sapateiro que faz sapatos, não apenas que troca saltos e solas.
Obrigado, Sandra, pela visita e comentário.
Beijos

Fred Matos disse...

Ótimo fim de semana pra você também, Patricia.
Grato pela visita e comentário.
Beijos

Milena disse...

Tenho um primo que calça 48. 48! É o maior pé que eu já vi na minha vida! Ele ficaria feliz se houvesse um sapateiro desses por perto. Mas parece que por aqui todos devíamos ter o mesmo corpo (manequim 34), a mesma pele (bronzeada de sol), o mesmo cabelo (escova progressiva), e o mesmo número de sapato (não muito grande, é claro, que o povo fala). Em algum lugar do mundo existe alguém feliz, acho. Maiakovski achava que era no Brasil (mas com certeza não é o meu primo)...
Ya have a good night (and good shoes! =D).

Andrea de Godoy Neto disse...

sapatos artesanais assim está mesmo difícil encontrar por aqui.

pena, acho que o ofício tem tanta poesia...a escolha do material, a costura, dar forma, com a ponta dos dedos tentar igualar a textura do par, mesmo sabendo que não é possível...

beijos pra ti, fred!

Assis Freitas disse...

Sobre medidas tenho uma citação: "De todas as pessoas que conheço a mais sensata é o meu alfaiate. Todas as vezes que vou a ele, toma-me as medidas. Quanto aos outros tomam a medida uma vez e acham que seu julgamento é sempre do nosso tamanho." Abraço

Alice in Wonderland disse...

que textos fantásticos. Lindo lindo lindo! Parabéns! Quero conhecer mais sobre vc e sua obra! Abração e parabéns

Fred Matos disse...

Deve ser muito difícil para o seu primo comprar sapatos, Milena. Obviamente existem lojas especializadas em tamanhos especiais, tanto de sapatos quanto de roupas, mas imagino que sejam reduzidas as opções. E o preço, imagino, que seja abusivo. Talvez, ande descalço e viva na floresta amazônica, em uma aldeia remota e ainda não “encontrada” pela “civilização”, o homem feliz que Maiakovski imaginava existir no Brasil.
Grato pela visita e comentário
Ótimo fim de semana.
Beijos

Fred Matos disse...

Concordo com você, Andréa, embora imagine que sapatos fabricados assim custem uma pequena fortuna, porque o custo de produção é altíssimo.
Agradeço-lhe por vir e comentar
Ótimo fim de semana
Beijos

Fred Matos disse...

Sábias palavras, Assis. Que a metáfora do alfaiate nos sirva a todos.
Agradeço-lhe por vir e comentar.
Ótimo fim de semana.
Grande abraço

Fred Matos disse...

Seu comentário me envaidece, Alice. Acho que já publiquei aqui no blog todos os meus poemas e alguns contos (os maiores não me animo porque sei o quanto é ruim lê na tela do micro). Fique à vontade.
Agradeço-lhe pela visita, comentário e por acompanhar o nas horas e horas e meias
Ótimo fim de semana.
Beijos

Mirze Souza disse...

Quanta coisa me traz essa imagem!

Os sapatos que nos acomodam, o artesanato e a humildade de quem os fabrica, o passo a passo enfim, que já está ficando para trás.

Lembrou-me um filme que vi há pouco tempo e A Morte do Caicheiro Viajante.

Lindo poema-imagem!

Parabéns, Fred!

Viajei!

Beijos

Mirze

Fred Matos disse...

O seu comentário é o poema, Mirze.
Grato por ele e pela visita.
Ótimo fim de semana.
Beijos

myra disse...

amei esta foto, como adoro os sapateiros, os carpinteiros, todos aqueles que ainda fazem coisas com as maos e que pouco a pouco estao desaparecendo...continua alegre e feliz na tua viagem
,abraçO

Fred Matos disse...

Viajando só nas fotos, Myra.
Grato por vir e comentar.
Ótimo fim de semana.
Beijos

Eduardo Trindade disse...

Fantástico! A imagem é incrível tanto pela sua plasticidade quanto pelo simbolismo, o tom um tanto nostálgico de uma profissão que é cada vez mais rara...
Abraços!

pesquisar nas horas e horas e meias