sábado, julho 31

horizontes - segundo poema



não sei quem é o autor da ilustração



sobre o mar,
desponta no horizonte,
a primeira lua do outono;
última azul do milênio,
segunda deste ano.

tapete no oceano,
imã do meu olhar,
o manto de prata se estende
do ocidente ao oriente,
do tangível ao abstrato.

faço um leito com argaços,
para esperar o nascente
cingindo-te nos braços.

que o horizonte seja a moldura,
onde são suas pernas compasso.




Fred Matos


publicado em "Eu, Meu Outro"
Editora Poesia Diária
Maio/1999
e na Antologia Horizontes
Editora Poesia Diária
Setembro/1999

12 comentários:

Lu Dantas disse...

Foi uma leitura suave! Imaginei o infinito sem fim que estende o azul do seu manto prateado e banhado pela luz do luar...

Gostei, viu!

Um abraço

Bípede Falante disse...

Lindo poema, especialmente o final, com essa imagem inusitada e forte de ser o horizonte uma moldura e as pernas um compasso.

myra disse...

oi, amigo Fred, que posso te dizer que ainda nao disse?entao vou dizer a mesma coisa:))) gostei como sempre!!!!lindas imagenes...
beijos

Fred Matos disse...

Obrigado, Lu. Deixa-me contente que goste e por comentar.
Beijos

Fred Matos disse...

Agradeço-lhe, Bípede, pela visita e comentário.
Beijos

Fred Matos disse...

Querida Myra,
Estou em falta com você e com todos os amigos dos blogues, é que o excesso de afazeres não têm me dado tempo sequer para atualizar diariamente o nas horas e horas e meias, muito menos para visitar os dos amigos.
Grato pela sua vinda e comentário.
Beijos

Insana disse...

O amar e seus segredos ..

bjs
Insana

Daniela Delias disse...

Querido Fred! A correria nossa de cada dia tem me impedido de estar mais presente aqui. Tudo nesse poema é delicadeza...bom demais te ler. Bjo grande.

Fred Matos disse...

Agradeço-lhe pela visita e comentário, Insana.
Beijos

Fred Matos disse...

Pois é, Daniela, a recíproca é verdadeira: faz tempo que não me sobra tempo para visitar os blogs dos amigos, mesmo ao nas horas e horas e meias tenho vindo pouco e quase sempre apenas para responder aos comentários.
Grato por vir e comentar.
Beijos

Mirze Souza disse...

Nossa que lindo, Fred!

Um horizonte moldura tendo pernas como compasso.

Fantástico!

Só você, poeta!

Beijos

Mirze

Fred Matos disse...

Obrigado, Mirze.
Fico contente por você gostar e comentar.
Beijos

pesquisar nas horas e horas e meias