quinta-feira, novembro 20

descaminhos


foto: Fred Matos


Não devo demorar-me nas memórias
que guardam as razões e fantasias
das quais meus versos emergem
como meros fragmentos
até então de mim ocultos.

Urge uma fotografia deste instante
quando todas as lembranças são vãs
e a esperança foi um inseto que passou.




Fred Matos
publicado em "Anomalias".
Editora Kelps
Setembro/2002


2 comentários:

joeldo disse...

Fred,
"Descaminhos" é um belo poema. Esse tipo de descaminho é o único permitido lá na Alfândega do Fim do Mundo.
Forte abraço,
Joeldo

fred disse...

Ainda bem que este é, e que não sejam outros.
Abração

pesquisar nas horas e horas e meias