segunda-feira, junho 1

Cura - Patrícia Clemente



Cura
Patrícia Clemente


ilustração: Joan Miró - Dutch Interior I


O coco quando é bem verde,
A água quando está pura,
A vida quando é traçada,
Sobre o passo da aventura,
É gosto que se adquire,
É paladar que se apura,
Como rir da própria sorte
Ou dormir em cama dura

O café quando é amargo,
A lágrima sem mistura
A paixão quando é trilhada
Na navalha da loucura,
É gosto que se adquire,
É paladar que se apura,
É doce que dói nos dentes,
Como o mel e a rapadura.

O beijo quando é salgado,
O amor quando é tortura.
Desejo que queima os nervos,
Excitação que satura,
É gosto que se adquire
É paladar que se apura
É prazer que se cultiva
É a alma que se cura.



Patrícia Clemente foi um heterônimo do grande poeta e amigo, prematuramente falecido, Marco Aurélio Vieira Pais.
Poema publicado no livro "Submissão", obra prima da moderna poesia brasileira.



10 comentários:

Mari Amorim disse...

Segue um trecho da petição:

“Um projeto de Lei do Senado brasileiro quer bloquear as práticas criativas e atacar a Internet, enrijecendo todas as convenções do direito autoral. O Substitutivo do Senador Eduardo Azeredo quer bloquear o uso de redes P2P, quer liquidar com o avanço das redes de conexão abertas (Wi-Fi) e quer exigir que todos os provedores de acesso à Internet se tornem delatores de seus usuários, colocando cada um como provável criminoso. É o reino da suspeita, do medo e da quebra da neutralidade da rede. Caso o projeto Substitutivo do Senador Azeredo seja aprovado, milhares de internautas serão transformados, de um dia para outro, em criminosos. Dezenas de atividades criativas serão consideradas criminosas pelo artigo 285-B do projeto em questão. Esse projeto é uma séria ameaça à diversidade da rede, às possibilidades recombinantes, além de instaurar o medo e a vigilância.”
Isso é sério,abracei esta causa,abrace tb...
seu comentário é importante sua assinatura também
boas energias,

Nanda Assis disse...

isso sim é uma leitura gostosaa!!!

bjosss...

Liene disse...

Fred,

Obrigada pela agradável visita!
Seu espaço é muito interessante.

Grande abraço e uma boa semana!

fred disse...

Mari,
Já assinei a petição quando de uma blogagem coletiva no fim do ano passado.
Como o assunto ainda está rendendo, vou colocar um selo na página com link para a petição.
Beijos

fred disse...

É ótima, Nanda.
Obrigado
Beijos

fred disse...

Agradeço-lhe a visita e comentário, Liene.
Volte sempre.
Beijos

nina rizzi disse...

uma pena, uma pena. já havia dito e a cada vez que leio algo que tu posta fico mais e mais encantada. ainda bem que vc existe, fred, assim as coisas se vão eterrnizando por tudos e em mim...

ah, e o zé. eu sou doida por ele. nao consigo abrir vídeo aqui e agora, mas acho que estava nese show :) se tiver o dvd, ao final dá pra me ver.. rsrsrs... uma moça que era careca, lol!

beijo :)

Ana Paula Sampaio disse...

Não conhecia o poeta, mas são versos incríveis, difíceis de esquecer! =)

fred disse...

Nina,
Pretendo ir publicando aos poucos os poemas do "Submissão". Assim mais pessoas terão a oportunidade de conhecer a obra do poeta Marco Aurélio Vieira Pais.
Obrigado pelo comentário.
Beijos

fred disse...

Agradeço-lhe, Ana Paula, pela visita e comentário.
Espero que venha outras vezes.
Beijos

pesquisar nas horas e horas e meias