segunda-feira, junho 29

o corte final


não sei quem é o autor da foto


eu também, meu caro waters,
estive preste ao corte final,
a deixar que todos vissem
palavras de sangue na parede
com a letra de uma canção

eu também, meu caro waters,
queria mostrar meu lado fraco
sucumbir à absoluta alucinação
escrever com sangue na parede
os versos de outra canção

eu também, meu caro waters
não tive coragem pro corte final
mas tenho a lâmina guardada:
talvez em alguma madrugada
eu escreva a definitiva canção.


Fred Matos
05/12/2008

22 comentários:

Mirse disse...

Forte e lindo!

Que beleza de formação dos versos, enfatizando ao final do primeiro o "eu também meu caro waters", e fugindo, ao elementar, meu caro Waters!

Divino!

Parabéns, poeta

Beijos

Mirse

Fred Matos disse...

Obrigado, Mirse.
Este Waters a que o poema se refere é o Roger Waters, músico, que era integrante do Pink Floid e autor da música "The final cut".
Beijos

hfm disse...

Terás de escrever muitas, meu amigo

Fred Matos disse...

Eu as escreverei, Helena.
Obrigado.
Beijos

Adriana Godoy disse...

E se escrever vai ser linda como o seu poema. Beijo.

Fred Matos disse...

Obrigado, Adriana.
Beijos

Devir disse...

Não consigo reconhecer o Pink Floid depois da saída do cara.
Tenho todos os vinil até o derradeiro The Final Cut.

Com a mesma lâmina
corto as "conivências"
que me obriga o sangue.
E aproveito toda oportunidade
para afiá-la nas convivências
que me satisfaz a lira.

Grande prazer foi passar aqui

Fred Matos disse...

Eu também. Para mim o "The final cut" foi o último álbum do Pink Floyd.
Do que restou, prefiro a carreira solo de Roger Waters.
Agradeço-lhe, Devir, a visita, leitura e comentário.
Volte sempre.
Abraços

Hercília Fernandes disse...

Belíssimo, Fred.
Tanto o poema quanto o diálogo que propõe com a canção do Pink Floyd. Destaco a estrofe:

"eu também, meu caro waters
não tive coragem pro corte final
mas tenho a lâmina guardada:
talvez em alguma madrugada
eu escreva a definitiva canção".

Muito, muito bom!

Um abraço, poetíssimo.
Beijos :)
H.F.

Batom e poesias disse...

Roger Waters não se cortou,
Syd Barrett enlouqueceu,
mas só o velho "Pink" faleceu...

Gostei Fred.
bjs
Rossana

Fred Matos disse...

Fico muito contente por você gostar, Hercília.
Obrigado.
Beijos

Fred Matos disse...

E eu do seu comentário, Rossana.
Obrigado.
Beijos

Conceição Duarte disse...

Muito lindo "Corte Final" realmente precisa de muita coragem...
Grande abraço, tenha ótimo dia, CON

Cris Animal disse...

Fred, andei viajando muito, meu blog ficou um tempo parado e realmente está fechado agora. Se quiser entrar por lá, o que me deixará muito feliz, preciso de um e-mail seu para mandar autorização.O e-mail do seu blog.
Escreva-me:
crissvm@hotmail.com
ou
acsvmf@yahoo.com.br

beijo enorme e saudade de vc!

sueli aduan disse...

Belo poema. Forte, denso, lindo.
Parabéns.
abs

Graça Pires disse...

Gostei muito Fred deste diálogo/monólogo com Roger Waters. Você escreverá nos muros muitas e bonitas canções...
Beijos.

Vieira Calado disse...

Oh, homem!

Veja lá o que faz...

Um abraço

Luisa disse...

uau
forte
muito bom
adorei
-
abraços e beijos

Maria Muadiê disse...

gosto dos seus poemas viscerais.

até pra ser fraco é preciso coragem. viver não é mesmo fácil.
bjo

Fred Matos disse...

Conceição, Cris, Sueli, Graça, Vieira, Luisa e Martha.

A semana passada foi um sufoco, tudo indica que esta também será, e no fim de semana fiquei sem Internet. Este o motivo da demora para agradecer-lhes, e por fazê-lo em mensagem coletiva.

Obrigado.

Abraços.

myra disse...

incrivel, forte, admiraçao,
abraços, myra

Fred Matos disse...

Obrigado, Myra.
Beijos

pesquisar nas horas e horas e meias