segunda-feira, setembro 7

balada para uma aeromoça



imagem de: http://www.osvigaristas.com.br


se estivéssemos conversando
como naquela noite quente de Bagdá
e você tomasse no seu o meu braço
e se sorrisse
como naquele dia em Praga
mas qual nada,
sequer uma carta

se estivéssemos amando
como naquela tarde em Santiago
e você me tomasse nos seus braços
e se me mordesse
como naquele dia em Roma
mas qual nada,
sequer um telegrama

se estivéssemos brigados
como naquela manhã em Tókio
e você me metesse os braços
e se me ferisse
como naquele dia em Bangkok
mas qual nada, sequer um toque.

se estivéssemos mortos
como naquele tempo em Moscou
e você me negasse os seus braços
e se me crucificasse
como naquele dia em Toronto
mas qual nada, sequer um confronto

se estivéssemos isso ou aquilo
unidos de qualquer forma
nos bons momentos e na tristeza
mesmo que você estivesse em Lhasa
eu me sentiria em casa.


Fred Matos

20 comentários:

Mirse Maria disse...

Que beleza, Fred!

É quase uma dança que vai seguindo o rumo do pensamento.

Perfeito e lindo!

Beijos

Mirse

Fred Matos disse...

Obrigado, Mirse, você como sempre muito gentil.
Ótima semana.
Beijos

...EU VOU GRITAR PRA TODO MUNDO OUVIR... disse...

Fred!

Obrigada por acompanhar meu blog .

Vim visitá-lo e gostei muito do que li.

Este poema da aeromoça é uma viagem e,sempre o "se",comandando destinos!

Virei aqui muitas vezes!!

Um beijo!

Sonia Regina.

Adriana Karnal disse...

que pena, um amor do mundo inteiro que não durou um nada.
gostei muito do poema.

myra disse...

mais que incrivelmente fantastico...sim, uma verdadeira dança!!!! eqto as palavras, nem falar!

BAR DO BARDO disse...

ai, que aeromoça...

muito bem, fred!

Adriana Godoy disse...

Eta, Fred, uma delícia esse poema, parece mesmo uma dança, como disse a Mirse. Beijo.

Wania disse...

Oi, Fred...

Muito bacana a correlação dos lugares com o desenrolar do relacionamento, deu um movimento bonito para o poema! Ficou muito sonoro!
O título, então, não poderia ser mais adequado! Tudo lindo!

Bjão e boa semana!

Fred Matos disse...

Venha mesmo, Sonia.
Agradeço-lhe pela reciprocidade no acompanhamento do blog, pela leitura e comentário.
Beijos

Fred Matos disse...

Que bom que você gostou, Adriana.
Obrigado.
Beijos

Fred Matos disse...

Deixa-me muito contente que você goste, Myra.
Obrigado.
Beijos

Fred Matos disse...

A da ilustração é a aeromoça perfeita, Henrique (risos).
A do poema é uma viagem (literalmente e metaforicamente falando).
Agradeço-lhe a visita, leitura e comentário.
Abração

Fred Matos disse...

Com tantos braços, idas e vindas, não sei se é dança do ventre ou um tango caliente, Adriana (risos).
Obrigado, amiga.
Beijos

Fred Matos disse...

Fico contente por você vir, ler e comentar, Wania.
Obrigado.
Beijos

Batom e poesias disse...

Final espetacular!
Um poema intimo e intercontinental.

Melhorou bastante a agilidade do blog, Fred. Quem bom que agora consigo vir.

Um beijão!
Rossana

malmal disse...

animadíssimo desejo...


bijok

Fred Matos disse...

Pois é, Rossana. Parece que era mesmo o excesso de links para o youtube.
Fico contente por você vir, pela leitura e pelo comentário.
Obrigado.
Beijos

Fred Matos disse...

Ê, Malmal, faz um tempão que não te vejo por aqui: estava com saudades.
Obrigado, amiga.
Beijocas.

sueli aduan disse...

Delicioso esse poema!!!

que forma mais bela de tratar do amor,lirapidamente,tamanha emoção, pra tornar a ler... tornar a ler.., tornar, e guardar na memória.
Parabénsssssssss.

Fred Matos disse...

Agradeço-lhe, Sueli, por vir, por ler, por comentar.
Ótimo fim de semana.
Beijos

pesquisar nas horas e horas e meias