segunda-feira, dezembro 7

mad man



Jitariuc Alexandra
Dreams are not easy to achieve

migalhas filosóficas
caindo do bico de um amigo
sugerem uma canção monocórdia
que um oboé melancólico
impele à brisa da tarde
gotejando as marcas do tempo
feito sangue engarrafado
nas artérias esclerosadas
de um paciente esquecido
na unidade de tratamento intensivo
porque os seus parentes
se já não morreram todos
talvez tenham preferido ir à praia
aproveitar o sol do feriado

naquele exato momento
peguei numa rajada de vento
um acorde de john lee hooker
tocando mad man blues
entendi como sendo um toque
do tipo "se pique enquanto pode
você nada tem a ver com isso"
mas sou lunático e teimoso
empunhei o meu pandeiro
porque a guitarra sem cordas
tem som de chuva e de chumbo
e não se deve fazer barulho
nem derramar lágrimas cenográficas
à beira da cama de um quase cadáver


Fred Matos

30 comentários:

Lídia Borges disse...

Gosto do tom provocador.

Realço:
[...e não se deve fazer barulho
nem derramar lágrimas cenográficas
à beira da cama de um quase cadáver]

L.B.

Fred Matos disse...

Fico contente que você goste, Lídia, e agradeço-lhe por vir, ler e comentar.
Beijos

Thalita Covre disse...

Nossa, que referência maravilhosa! Mad man blues!

Sobre a poesia, muitas imagens passaram pela minha cabeça- e falo como apreciadora de poesia, não como crítica literária- imagens que não fazem muito sentido mas que misturadas criaram um ar melancólico fodido - desculpe o linguajar.

...

Batom e poesias disse...

Já disse antes, leio seus poemas com o mesmo sentimento ao ver uma tela de Caravaggio, que adoro.

Não chega a ser barroco, mas é denso, cheio de claros e escuros, de sembras e mistérios.
E obviamente, belíssimo.

Falo da obra dos dois.
Beijos Fred.
Rossana

Marcos Satoru Kawanami disse...

maluco foi um colega meu que largou o cuso de Direito no Largo de São Francisco para fazer Música, com especialização em oboé.

ele era um ano na minha frente na escola, onde tocávamos trompete na banda.

Marcelo Nigli Figueiredo, vulgo Pastel. o cara era crânio.

eu e ele ainda formávamos uma das duplas que davam aula de Catecismo para as crianças do primário, aos sábados.

Mirse Maria disse...

Oi Fred!

Saudades de você e Dila!

Seus poemas me enriquecem e são devaneios para a alma!

"Sonhos não são fáceis de alcançar"
O oboé, realmente seria nostálgico, mas nunca tinha imaginado o som de uma guitarra sem cordas.

No momento passei por esse tema e entendo bem a música e o sabor de chumbo na boca!

Parabéns, grande poeta!

Beijos

Mirse

Sil.. disse...

Nossa, seus poemas são lindíssimos!!!

Amei. Sem palasvras..

Bjão.

renata carneiro disse...

pescar detalhes em rajadas de vento é lindo!

agradeço a visita e as palavras de carinho. volte sempre mais!

um beijo.

Fred Matos disse...

Não tem que se desculpar de nada, Thalita, foi esta mesmo a imagem que pretendi criar.
Contente com a sua visita, leitura e comentário.
Beijos

Fred Matos disse...

Deixa-me comovido, Rossana.
E agradeço.
Beijos

Fred Matos disse...

Maluco nada, Marcos, maluco é quem faz direito no lugar da música.
Agradeço-lhe a visita, leitura e comentário.
Abraços

Fred Matos disse...

Muito bom vê-la aqui, Mirse.
Ontem mesmo Dila notou a sua ausência.
Obrigado, amiga.
Beijos

Fred Matos disse...

Deixou-me sem palavras, Sil.
Obrigado.
Espero vê-la sempre aqui.
Beijos

Fred Matos disse...

Claro que voltarei, Renata, muitas vezes. E ficarei contente a cada a visita sua.
Obrigado.
Beijos

Sônia Silvino disse...

Olá, Fred!
Como sempre belos poemas.
É muito bom te visitar!
Te espero nos meus blogs com um cafezinho virtual bem gostoso!
Abraços!!!

. fina flor . disse...

também sou lunática e teimosa, rs*

beijos, querido e obrigada pela fina presença no canteiro

MM.

myra disse...

terrivel, cruel, real, e tao bem escrito,e sempre belos, beijosssssss

FLÁVIA DE MACEDO disse...

Muito bacana essa poesia.Muito bacana seu blog.Visitarei mais vezes...

Fred Matos disse...

Embora sem comentar, tenho visitado regularmente os seus blogs, Sônia.
Agradeço-lhe por vir, ler e comentar.
Beijos

Fred Matos disse...

Eu que agradeço, Mônica, pela sua visita, leitura e comentário.
Beijos

Fred Matos disse...

Obrigado, Myra. Deixa-me sempre comovido.
Beijos

Fred Matos disse...

Ficarei contente se visitar, Flávia.
Agradeço-lhe pela leitura, comentário e por acompanhar o blog.
Beijos

Adriana Godoy disse...

Fred, tem tudo a ver com mas man blues. um poema assim entrecortado com referências truncadas e na leitura uma unidade do começo ao fim. muito louco isso. gostei. bj

Marcos Satoru Kawanami disse...

tem razão, Fred. eu também fiz errado, não Direito.


=D
Marcos

Fred Matos disse...

Obrigado, Adriana.
Beijos

Fred Matos disse...

Bom pra você, Marcos, já que dizem que o teste para ingresso na OEB é bem mais fácil que na OAB.
Abração

adri antunes disse...

Fred, valeu pela visita e tb gosto dos seus escritos, volta e meia te visito em silencio.
:)
bju

...EU VOU GRITAR PRA TODO MUNDO OUVIR... disse...

Doído e verdaeiro poema:quando tudo vai mal "nossos amigos aproveitam o sol...".

Contundente e excelente!!

Beijo!

Sonia Regina.

Fred Matos disse...

Agradeço-lhe, Adri. Mas não tenha receio de fazer barulho quando vier.
Beijos

Fred Matos disse...

Obrigado, Sonia.
Na verdade os amigos verdadeiros são os que sempre nos dão força.
Um amigo meu diz que ruim mesmo é parente, que não se pode escolher, mas isso é ele que diz, eu me dou muito bem com todos os parentes, principalmente porque temos muito pouco contato (risos).
Agradeço-lhe por vir, ler e comentar.
Beijos

pesquisar nas horas e horas e meias