quarta-feira, junho 16

bloomsday



não sei quem é o autor deste retrato de Joyce



Hoje é feriado na Irlanda. Acho que o Bloomsday é o único feriado dedicado a uma obra de arte. A data homenageia o romance Ulisses, de James Joyce, que relata a odisséia do personagem Leopold Bloom durante 16 horas do dia 16 de junho de 1904.



bloomsday
[para James e Nora]

enquanto em Dublin os rins de Joyce
eram servidos no Bloomsday
meu fígado estava sendo consumido
em ordinário prato de flandres

não vale a pena ir adiante
quando se crê o mundo perdido
na cega idolatria que eu sei
e não me será imposta a coices

na sobremesa uma fatia de doce
no jantar um novo Decreto-Lei
será inevitavelmente digerido

à noite uma leitura narcotizante
depois o nó górdio de Alexandre
e o oriente ao ocidente submetido

não preciso que se entenda o que digo
nem saber se a estupidez se expande
nas fronteiras além do meu umbigo

ah! aqui faz um belo domingo
somente isto deveria ser importante
não a lembrança de um junho antigo

que, contudo, não me saí da cabeça
porque meu fígado foi digerido
no balcão de um pub irlandês:

Leopold Bloom estava bêbado
e berrava para que todos ouvissem:
“ah! como é gostoso o meu Ulisses”

quando acabou o estoque de uísque
bebeu o meu sangue numa taça
e no meio do disse-que-disse
ainda queria que eu sorrisse

mas não me tirou a mordaça


Fred Matos

20 comentários:

Lídia Borges disse...

Como sorrir amordaçado?

Muito interessante. Fez-me ir investigar. Gostei!

Lara Amaral disse...

Muito boa a narrativa poética, Fred, uma leitura interessante fazemos.

Abraço.

poesiasequer disse...

16 de junho - dia em que "caminharam juntos" pela primeira vez... que belo poema, fred. abraço.

myra disse...

fabuloso poema! adorei! e a pintura é excelente!
Fred, obrigada pelo comentario que colocou no "expressodalinha"!!!
je tem 2 episodios:) amanha acho que vai ter o 3!
um gde abraço,

Fred Matos disse...

Difícil, mesmo, Lídia.
Obrigado.
Beijos

Fred Matos disse...

Agradeço-lhe por vir e comentar, Lara.
Beijos

Fred Matos disse...

É isso mesmo, Nydia. Joyce escolheu o 16 de junho para a odisséia de L.Bloom porque foi a data em que ele e Nora Barnacle "caminharam juntos" pela primeira vez.
Agradeço-lhe por vir e comentar.
Beijos

Fred Matos disse...

Eu já li os 2 episódios, Myra. Amanhã passo lá para ler o próximo.
Obrigado por vir e comentar.
Beijos

nina rizzi disse...

belíssima e merecedíssima homenagem, fred. aliás. hoje eu bloomsday-nos lá no ellenismos. e, ora veja, junto de mim e de ulisses, ocê!

um beijo :)

Fred Matos disse...

"hoje eu bloomsday-nos lá no ellenismos"

Eu já estive lá, Nina. Fiquei muito contente. Sua generosidade me comove.
Obrigado, querida.

Beijos

Assis Freitas disse...

boa lembrança esse bloomsday, e o poema carrega junto a epifania,

abraço

Fred Matos disse...

Grato, Assis, por sua visita e comentário.
Grande abraço

Aninha disse...

...

Luz, cor, melodia, palavras... aqui!
Puro encantamento! Estou feliz!

Ana

Maria Vieira disse...

homenagem mais que merecida ao grandioso james joyce. devemos nós, leitores e escritores, mto a ele.
bjos.

Fred Matos disse...

Agradeço-lhe pela visita e comentário, Aninha.
Venha sempre.
Beijos

Vanessa Souza Moraes disse...

Gosto de Joyce e da forma como ele transformou sua quase psicose em literatura.

belo escrito.

Fred Matos disse...

"...devemos nós, leitores e escritores, mto a ele."

Mesmo os que nunca leram nada de Joyce.

Obrigado, Maria.
Beijos

Fred Matos disse...

Vanessa,
Acho que de certa forma é isso que fazem todos os que escrevem: transformar em literatura as suas pirações.
Agradeço-lhe por vir e comentar.
Beijos

Mirze Souza disse...

Lindo, Fred!

Me fez sonhar em ondas.

Beijos

Mirze

Fred Matos disse...

Obrigado, Mirze.
Beijos

pesquisar nas horas e horas e meias