segunda-feira, junho 14

infância





ilustração: Jan Saudeck


escrevi este poema com os silêncios
que sobraram no sótão
onde
na infância
escondíamos as sementes
apanhadas nas frestas
dos paralelepípedos polidos
de uma rua úmida
coalhada de borboletas
sóis siameses
e anos luminosos
deliciosamente nossos
ossos nus nações limítrofes

e repito tal mantra um verso apenas:
nada é vão.


Fred Matos

36 comentários:

Lara Amaral disse...

A força maior de dentro vem desses guardados antigos.

Bonito e forte poema.

Abraços.

Mila disse...

A infâncai é um momento mágico da vida, por isso tão importante, reflete o adulto que haverá mais tarde. Tempo de formação do caráter.
Bela poesia!
Bjs
Mila Lopes

Deia disse...

Absolutamente NADA é vão, Fred - concordo plenamente! Um beijo, Deia

Fred Matos disse...

Obrigado, Lara.
Sim da infância vem a força.
Beijos

Fred Matos disse...

Creio nisso, Mila.
Grato por vir e comentar.
Beijos

Fred Matos disse...

Concordamos, então, Deia. Obrigado.
Beijos

Rafael Castellar das Neves disse...

Excelente...sensacional....nada mesmo...exatamente nada!!

Muito bom!1

[]s

Fred Matos disse...

Agradeço-lhe pela visita e comentário, Rafael.
Grande abraço

Sonhadora disse...

Nosso baú,guarda toda uma vida.
Lindo poema.

Sonhadora

Jenny Paulla disse...

Como é bom recolher pedrinhas em um ribeirão às vezes esquecido dentro de nós.Mas que ainda nos irriga:completamente.

Daniela Delias disse...

Poema lindo, Fred. Deliciosamente nosso, teus leitores...
Bjo!

Suzana Martins disse...

Lindos versos que me silenciaram!!

Lindo demais...

Beijooos....

myra disse...

belo demais este poema!!!
as crianças sao todas geniais...
beijos enormes

sabe se quiser ve:
www.expressodalinha.blogspot.com

um amigo esta escrevndo uma especie de biografia minha, començou hoje...fiquei emocionada..

Mirze Souza disse...

Lindo, Fred!

Realmente, absolutamente nada é vão.

Muito bonito!

Beijos

Mirze

Fred Matos disse...

Obrigado, Sonhadora.
Beijos

Fred Matos disse...

É sim, Jenny. Bom também, e agradeço, é receber a sua visita e comentário.
Beijos

Fred Matos disse...

Obrigado, Daniela. Desnecessário que eu diga, mas digo, que sou fã da sua poesia.
Beijos

Fred Matos disse...

Que bom que você gostou, Suzana. Espero vê-la mais vezes aqui. Grato por vir e comentar.
Beijos

Fred Matos disse...

Claro que quero ver, Myra. Acho ótimo: você é merecedora de todas as homenagens.
Grato pela visita e comentário.
Beijos

Fred Matos disse...

Obrigado, Mirze.
Sua visita e comentário sempre me deixam contente.
Beijos

Adriana Godoy disse...

Ai, que lindo...me remeteu à música de Chico, "Maninha". Nos porões da infância é que estão nossos maiores tesouros. beijo.

myra disse...

se voce tem tempo e te interessa da uma olhada no:
www.expressodalinha.blogspot.com

um amigo esta escrevendo um resumem de minha vida, por episodios, ja tem dois!
eu fiquei muito emocionada!
abraçO!!

Rodrigo Della Santina disse...

Gostei do poema, meu caro
Grande abraço,

P.S.: Deixei um comentário lá no seu soneto inglês.

Fred Matos disse...

Obrigado, Adriana.
Boa lembrança: adoro "Maninha", principalmente numa gravação de Caetano e Bethânia.
Beijos

Fred Matos disse...

Eu já estive lá, Myra. Inclusive passei a acompanhante do blog para não perder nenhum capítulo. Além de que é um ótimo blog.
Beijos

Fred Matos disse...

Obrigado, Rodrigo.
Vou lá ver o recado.
Abração

Paty disse...

gostei do poema...

to seguindo com carinho, bjs!

expressodalinha disse...

Obrigado por ser seguidor do Expresso da Linha. Voltarei aqui com mais calma.

Fred Matos disse...

Agradeço-lhe, Paty, pela visita, comentário e por acompanhar o blog.
Beijos

Fred Matos disse...

Agradeço-lhe a visita, Jorge, bem como parabenizo-o pela iniciativa de biografar a nossa querida amiga Myra.
Grande abraço

Insana disse...

Ai ai o que é a infancia se nâo o melhor de nossos momentos..

bjs
Insana

Fred Matos disse...

Exceções certamente existem, mas a regra é esta, Insana.
Agradeço-lhe por vir, comentar e por acompanhar o blog.
Beijos

Rízia Luiz disse...

Noossa! Que lindoo e forrte!

Virei sempre aqui.
Gostei de tudo.
Do mistério, da profundidade...
beeijos

Fred Matos disse...

Agradeço-lhe pela visita, comentário e por acompanhar o nas horas e horas e meias, Rizia.
Beijos

Nilson disse...

Gostei muito! Vou voltar mais vezes!

Fred Matos disse...

O prazer será meu, Nilson.
Agradeço-lhe pela visita e comentário.
Abraços

pesquisar nas horas e horas e meias