segunda-feira, julho 19

a cidade perdida


foto: Fred Matos


há uma cidade perdida
entre esquinas e ladeiras
sob as praças
sob os prédios
nas calçadas
nas sarjetas

há uma cidade perdida
nas ruínas dos palácios
sobre os jardins geométricos
sobre os pátios de concreto
mar de lixo
rios de asfalto

há uma cidade perdida
nas memórias de um garoto
que se perdeu na cidade
que se afogou no esgoto


Fred Matos



36 comentários:

Sonhadora disse...

Meu querido Poeta
Lindo e verdadeiro poema, adorei.

há uma cidade perdida
nas memórias de um garoto
que se perdeu na cidade
que se afogou no esgoto

Principalmente esta parte.

beijinhos
Sonhadora

Fred Matos disse...

Principalmente esta parte, Sonhadora.
Grato pela visita e comentário.
Beijos

ma grande folle de soeur disse...

Pungente. Abraço Fred

Fred Matos disse...

Obrigado, Lucília.
Beijos

Andrea de Godoy Neto disse...

Fred, esse poema tem imensa beleza e o impacto de um soco no estômago

gostei muito

beijos,
boa semana pra ti

Elis Zampieri disse...

Vale sempre, cada passagem por aqui.
Agora vou-me e deixo meu abraço.

OutrosEncantos disse...

E até nós somos por vezes cidade perdida na cidade alucinada, sem conseguir segurar a mão estendida de tantos garotos que a toda a hora as "cidades" de uma maneira ou de outra "engolem"...

Muito bom, muito dramático e real, este teu poema

Deixo-te beijo, com saudade
Msria :)

Fred Matos disse...

Obrigado, Andrea. Deixa-me contente que você goste.
Beijos

Fred Matos disse...

E cada vez que você vem me deixa muito contente, Elis.
Obrigado.
Beijos

Fred Matos disse...

Agradeço-lhe, Maria, pela presença e comentário.
Beijos

Enigma disse...

A sociedade despreza a cidade (perdida). Nas ruínas dos palácios, ninguém se preocupa...

Beijinhos no amigo Fred. Kiss!! Kiss!!

Fred Matos disse...

Obrigado, Enigma.
Beijos

Deia disse...

Fred, seria bom se fossemos salva vidas, e evitássemos tantos afogamentos... Belíssima composição, emocionante. Um beijo, Deia.

Fred Matos disse...

Pois é, Deia, mas enquanto alguns poucos pensam como você, milhares despejam lixo nas ruas, votam em políticos que não cuidam de saneamento (preferem viadutos), nem de educação e saúde (preferem estações rodoviárias e aeroportos) etc etc etc etc.
Grato por vir e comentar.
Beijos

Mari Amorim disse...

Fred,
O Amor nunca deverá ser responsabilizado por dores,perdas ou danos e tem amplos poderes para neutralizar todas as batalhas, sejam elas emocionais, familiares ou sociais...FELIZ DIA DO AMIGO,
BOAS ENERGIAS!
Beijos,
Mari Amorim
Brincando Com a Rima

Graça Pires disse...

O mundo tem cada vez gente mais indiferente aos problemas dos outros... Este seu belo poema faz-nos reflectir. Obrigada.
Um beijo.

Bípede Falante disse...

Também caminho por uma cidade que se desdobra em outra quando viro uma esquina.

Fred Matos disse...

Agradeço-lhe pela visita e mensagem, Mari. Ótimos dias.
Beijos

Fred Matos disse...

Graça,
É lamentável a indiferença às nossas mazelas cotidianas. Até compreendo que a banalização contribua, como compreendo que algumas pessoas prefiram a ignorância, mas lamento, lamento profundamente.
Agradeço-lhe por vir e comentar.
Beijos

Fred Matos disse...

Como espaço de convivência e solidariedade, a cidade é uma belíssima criação, mas torna-se cruel e ineficiente quando afligida pelo crescimento desordenado. Como qualquer organismo as cidades também estão sujeitas ao câncer.
Grato por vir e comentar, Bípede Falante
Beijos

MAILSON FURTADO disse...

Belo blog, bela postagem...

Excelente trabalho!!!

Fiquei feliz em conhecer...

Veja:

http://mailsonfurtado.com

Fred Matos disse...

Agradeço-lhe pela visita e comentário, Mailson.
Volte sempre
Abraços

❧Stéfani❧ disse...

Podes dizer qual o nome desta cidade?

Seu blog é lindo!!

Stéfani

Fred Matos disse...

Stéfani,
Se você se refere à "cidade perdida" do poema, qualquer nome serve, aplica-se a todas as grandes cidades do mundo, com as suas misérias e mazelas.
Agradeço-lhe pela visita e comentário.
Volte sempre.
Beijos

Luisa disse...

Tristesse

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...

Gostei muito!!! Mostra uma realidade que, infelizmente, ainda persiste (e piorada) , à parte o caráter memorial, que é patente.
Virei mais vezes, quando puder.
Beijos
Tenha Bons Dias!
Renata

Gerana Damulakis disse...

Espetacular, Fred.

Adriana Godoy disse...

Oi, Fred, quantas cidades perdidas há? Em cada canto há um outro paralelo...em cada pessoa existe uma cidade diferente daquela que se vê. Muito bom mesmo. Gostei demais. Beijo

Fred Matos disse...

É triste sim Luisa. Grato por sua visita e comentário.
Beijos

Fred Matos disse...

Venha sim, Renata. Ficarei contente, como fiquei por sua visita e comentário.
Beijos

Fred Matos disse...

Que bom que você gostou, Gerana. Deixa-me muito contente.
Obrigado
Beijos

Fred Matos disse...

São tantas, né Adriana?
Grato, amiga, por vir e comentar.
Beijos

Wania disse...

Fred

A cidade perdida é consequência de todas as infâncias perdidas, de todas as lembraças afogadas nesta imensa onda de indiferença que, infelizmente, inunda as grandes cidades!

Um belo poema para uma realidade feia e triste!


Bjs, meu amigo

Fred Matos disse...

Agradeço-lhe, Wania, a visita, leitura e comentário.
Ótima semana.
Beijos

Mirze Souza disse...

Belo demais, Fred!

Sempre há um paraíso perdido. no seu caso achado!

Beijos

Mirze

Fred Matos disse...

Agradeço-lhe por vir e comentar, Mirze.
Beijos

pesquisar nas horas e horas e meias