quarta-feira, abril 29

a música das horas e horas e meias



Renato Teixeira

Cuitelinho






Composição: Domínio Público
Folclore recolhido por Paulo Vanzolini e Antônio Xandó



Cheguei na beira do porto
Onde as onda se espaia
As garça dá meia volta
E senta na beira da praia
E o cuitelinho não gosta
Que o botão de rosa caia,ai,ai

Ai quando eu vim
da minha terra
Despedi da parentália
Eu entrei no Mato Grosso
Dei em terras paraguaia
Lá tinha revolução
Enfrentei fortes batáia,ai, ai

A tua saudade corta
Como aço de naváia
O coração fica aflito
Bate uma, a outra faia
E os óio se enche d´água
Que até a vista se atrapáia, ai...



10 comentários:

A garota do copo d'gua disse...

saudade...sentimento que soa tao paradoxal pra mim.

Adriana disse...

ótimo...

Mirse disse...

Lindo seu gosto e preferências musicais.

Esse em especial é melancólico, mas de uma grandeza 5 estrelas.

Parabéns Fred!

Voltarei aqui para ouvir outra vez.

Beijos

Mirse

Lucinha disse...

Boa noite... vim conhecer seu blog menino, adorei viu voltarei mais vzs se assim me permitir hehehe.
linda quinta feira.. beijoss

fred disse...

Ocorre-me Garota o paradoxo de ser a saudade o sentimento que expressa a presença de uma ausência, mas não sei se é a este paradoxo que você se refere. A palavra, porém, é belíssima, bem como as emoções que pode suscitar.
Agradeço-lhe a por vir, por ler e por comentar.
Beijos

fred disse...

Obrigado, Adriana. Deixa-me contente a sua visita, leitura e comentário.
Beijos

fred disse...

Diz-se que gosto não se discute, Mirse. Consideramos sempre de bom gosto aquele semelhante ao nosso e é assim que agradeço o seu comentário.
Beijos

fred disse...

Espero que venha sempre, Lucinha.
Sinta-se em casa.
Obrigado.
Beijos

Bruna Mitrano disse...

a saudade corta como aço de naváia...

fred disse...

E os óio se enche d´água
Que até a vista se atrapáia, ai...

(risos).

Beijocas, Bruna

pesquisar nas horas e horas e meias